O poder da inteligência emocional

Aprenda a administrar melhor sua vida sem tanto estresse

O poder da inteligência emocional

Lidar com trabalho, casa, filhos, relacionamento, cuidados com a saúde e o corpo e mais as diversas coisas que as mulheres fazem durante o mês são atividades extremamente estressantes quando acumuladas. É aí que as emoções prevalecem e as atitudes intempestivas são tomadas, causando o arrependimento posterior. Mas sabia que é possível aprender a lidar com isso? A inteligência emocional pode se tornar sua melhor amiga.

O psicólogo clínico Odair José Comin, escritor do livro "Mestre das Emoções", diz que a inteligência emocional é o equilíbrio que se estabelece entre os diferentes sentimentos humanos e como eles interagem, tanto interna quanto externamente. "A inteligência emocional é a habilidade de utilizar as emoções a favor de si e a favor de um bem viver", explica ele.

Estabelecido no senso comum - e levemente comprovado pelas TPMs - está o fato de que a mulher vive mais intensamente suas emoções e tende a ser mais permissiva a elas, deixando com que aflorem com mais facilidade. E ao contrário do que possa parecer, isso é bom, pois acaba por criar uma conexão muito mais forte com o objeto de sua emoção.

Mas não ache que apenas a impulsividade basta, porque é preciso um direcionamento racional de suas emoções para que elas trabalhem a seu favor. "A emoção é combustível, é energia, e para ter um melhor aproveitamento dessa força é preciso que a razão esteja no comando", conta o psicólogo. A junção da emoção com a razão tornará essa emoção inteligente e você ponderará melhor cada situação e tomará decisões mais assertivas.

E não se resigne a ser refém do que sente, mesmo que sejam emoções fortes que facilmente nos pegam, como medo e ciúme. É preciso buscar formas de lidar com esses sentimentos e superá-los. Procure sempre o antídoto para sua emoção quando ela lhe limitar e busque colocar a solução em prática. Afinal, você é mais forte que uma reação ruim ou exagerada, não é?

E, acredite, você é capaz de controlar suas emoções. A sociedade muitas vezes nos vende a ideia de que não conseguimos nos controlar por culpa de nossa natureza maternal, mas nós temos um cérebro e ele pensa. "Ao invés de ‘comprar’ esse paradigma e acabar por torná-lo verdadeiro, coloque como meta acreditar apenas em coisas que lhe fazem bem, que lhe façam evoluir. E assim será", indica Odair.

As emoções no ambiente de trabalho devem ser usadas se realmente forem úteis. Do contrário, devem ficar protegidas em seu universo interior. Não há necessidade de se abrir, pois, normalmente, essa exposição será utilizada contra você em algum momento. O ser humano, por natureza, busca se sobrepor ao outro, ter o poder sobre ele. E uma das formas é por meio do jogo com as emoções. Portanto, proteja-se desses abusos.

Lidar com a carreira e a maternidade pode ser algo extremamente difícil, principalmente para as mamães de primeira viagem. Com as demandas cada vez maiores, de ambos os lados, a inteligência emocional pode ser super útil na hora de lidar com a culpa e a frustração ao ter que priorizar um lado ou o outro. "Ela precisa, então, confiar em seu próprio discernimento e intuição, buscar fazer o seu melhor e o que é possível nos diferentes papéis em cada momento", explica o escritor.

Da mesma forma na hora de se dividir entre mãe e esposa. São dois papéis bem diferentes e nenhum deles pode suplantar o outro, ambos devem existir para que a dualidade entre eles se torne saudável. E você precisa ter o discernimento necessário para avaliar cada uma dessas situações, fazendo escolhas que levem em consideração os dois aspectos.

"É necessário autoconhecimento e aprender a identificar como cada emoção interage com você e que tipo de influência ela tem sobre sua mente em cada situação", afirma o psicólogo clínico. Para isso, é necessário que você busque sempre se conhecer sob os diferentes aspectos, frente aos diversos papéis que desempenha, seja na vida privada ou profissional, e faça autorrevisões constantes sobre os conceitos que a sociedade lhe impõe ou que você mesma se incutiu e que não lhe fazem bem.

Veja as dicas do profissional para que você aprenda a lidar com o turbilhão de emoções que inundam sua mente todos os dias:

• Na medida em que você percebe uma emoção em curso, tente apropriar-se dela buscando entendê-la em suas razões.

• Não tente maquiar uma emoção em si só porque ela é "mal vista". Aceite-a e torne-se amiga dela. Equivale à máxima de manter seu inimigo por perto, assim você observará toda sua movimentação e poderá se antecipar à sua ação.

• Não tente evitar uma emoção, por mais que ela lhe cause mal. Tente entendê-la, e assim poderá controlá-la.

• Não se culpe por sentir esta ou aquela emoção. Pois somos passíveis de sentir todas elas, e não há problema algum.

• Leia Filosofia, pois esta é uma forma de conhecer melhor o significado de cada emoção e como elas se manifestam em você.


Juliany Bernardo (MBPress)

Comente

Últimas