O que comer para ter bom humor

Os alimentos podem ajudar a manter seu bom humor, disposição e energia

alimentos para o humor

Os alimentos são essenciais para a manutenção do nosso corpo, da nossa mente, alguns, inclusive, interferem no nosso humor! Isso mesmo! Uma dieta rica em peixes, nozes e leguminosas pode fazer a diferença e nos deixar mais animados.

Tudo porque os itens citados acima contêm aminoácidos fundamentais para que nosso cérebro produza certos neurotransmissores - serotonina, dopamina e noradrenalina - que são relacionados ao humor.

Dopamina e a noradrenalina "proporcionam energia e disposição, e são produzidas pelo cérebro com o auxílio de um aminoácido chamado tirosina", explica Tatiana Roman, nutricionista do Hospital São José, em São Paulo. A tirosina pode ser encontrada em peixes, carnes magras, aves, leguminosas, nozes e castanhas, leite e iogurte desnatado.

A famosa serotonina, presente em alimentos como o chocolate, tem influência no estado de ânimo, sensação de bem-estar e humor das pessoas. Para ser fabricada, ela também depende da presença de um aminoácido - o triptofano. "Na ausência de luz, o triptofano auxiliará na diminuição da temperatura central, favorecendo a melhoria da qualidade do sono. De acordo com alguns pesquisadores, o distúrbio do sono pode exercer um efeito depressivo no humor", acrescenta Margareth Lage Fornasari, professora do Curso de Nutrição da Universidade São Judas Tadeu, em São Paulo. São fontes dessa substância: peixes, carnes magras, leites e iogurtes desnatados, queijos brancos, nozes e leguminosas.

Mas não são apenas esses nutrientes que provocam alterações em nosso humor. "Deficiências de vitaminas e minerais, principalmente a piridoxina, estão diretamente ligadas à conversão do triptofano em serotonina. Níveis sub-ótimos desse neurotransmissor podem acarretar em desequilíbrios no humor", alerta a professora. Fígado de boi, bacalhau seco, frango, fígado de galinha, costela de porco, farelo de trigo, salmão, carne bovina e banana contêm piridoxina.

Outra vitamina que, quando faz falta, deixa muita gente mal-humorada é a B12. "Ela ajuda no transporte de acido fólico, substância que aparece sempre em níveis baixos quando a pessoa tem depressão", afirma Tatiana. Mas é fácil encontrar essa substância. Ela está em leites e derivados, atum, carne bovina, ovos.

Minerais como cálcio e selênio também mexem com nosso estado de espírito. O primeiro ajuda a controlar e reduzir a irritabilidade, e pode ser bem útil naqueles dias em que a mulherada está de TPM.

Se você sofre desse problema, anote a listinha para incluir na sua dieta de todo dia: leite, iogurtes e queijos magros. Já o selênio tem ação antioxidante. Carências desse mineral também estão relacionadas a casos de depressão, irritabilidade e ansiedade. Ele está presente em nozes, amêndoas, semente de girassol, peixes e trigo.

Quem vive se perguntando por que adora comer chocolate - especialmente quando está abatida ou irritada - pode considerar o fato de que esse alimento contém tirosina, cálcio e selênio. Portanto, combina diversos nutrientes responsáveis pela sensação de bem-estar. Além, é claro, de ser delicioso!

Porém, é importante lembrar que não basta consumir os alimentos sugeridos de vez em quando para ter bons níveis dos neurotransmissores, vitaminas ou minerais relacionados ao humor. O segredo é incluir as fontes desses nutrientes na dieta, diariamente.

Vilões quando em excesso

Nem todos os nutrientes que influenciam nosso humor trazem benefícios. "Açúcar, cafeína e álcool em excesso acabam com o equilíbrio emocional de qualquer um", diz Tatiana. Ela explica que, embora esses alimentos sejam conhecidos pela sensação de euforia que causam, tal sensação é temporária.

Gorduras demais, além de fazerem mal ao sistema circulatório em geral - e serem responsáveis por parte do excesso de peso, em alguns casos -, são vilãs quando o assunto é sensação de bem-estar. Elas retardam a digestão e afetam o nível de transmissão neurológica, alterando o humor de forma ruim. 

Fechando a lista do que pode nos deixar de mal com a vida, estão aqueles longos períodos sem comer. "Jejum prolongado reduz os níveis de glicose no cérebro e fazem com que o mau humor se instale", conclui a nutricionista do Hospital São José.

Ou seja, para ter uma dieta que favoreça o equilíbrio emocional não basta ter o hábito de consumir alimentos com nutrientes que trazem uma sensação de bem-estar. É preciso também evitar os excessos.

Comente

Últimas