Obsessão pela magreza? Veja os riscos a saúde!

A obesessão pela magreza pode causar deficiência de nutrientes

Obsessão pela magreza Veja os riscos a saúde

Embora o segmento plus size esteja em destaque no mundo da moda, muita gente ainda considera a aparência estética um tabu. Isso porque, no ponto de vista dessas pessoas, possuir o corpo esbelto é considerado um sinônimo de elegância e de mulher sexy.

Por este motivo, essas mulheres brigam diariamente com a balança e cada grama adquirida se torna angústia e depressão. Essa obsessão pela magreza pode deixá-las, de certa forma, tão desconfortáveis com a aparência que muitas sentem vergonha até de sair de casa.

Se você ainda tem dúvidas de como a obsessão pela magreza pode ser negativo para a mulher, veja a opinião do Dr. Bruno Sander, médico cirurgião especialista em gastroenterologia e tratamentos para obesidade, responsável pela Clínica Sander, em Belo Horizonte, a respeito do assunto.

"Todos nós temos um biotipo especifico. Os belos olhos da Cameron Diaz, por exemplo, talvez não ficassem tão bons na Angelina Jolie. Cada ser humano, individualmente, tem um padrão de beleza específico e o fato de não o alcançarem pode levar à decepção e desilusão", descreve.

Segundo o especialista, essa decepção é extremamente danosa no aspecto psíquico. "Importar-se demasiadamente com os padrões de beleza pode interferir no emocional dessa mulher", diz ele. "Existe aquela preocupação natural com o bem-estar do corpo, mas tudo em excesso gera prejuízo funcional e psicológico à paciente", acrescenta.

Essa obsessão pela magreza pode ocasionar diversos riscos à saúde também. De acordo com Dr. Sander, alguns deles são: deficiências em nutrientes, minerais, vitaminas, doenças de pele e perda de cabelo, além de esofagite e gastrite, ocasionadas por alimentação deficiente.

Outro risco é que a busca pelo corpo perfeito pode gerar distúrbios alimentares como a bulimia (doença na qual a pessoa exagera na ingestão de alimentos e quando percebe que perdeu o controle usa vários métodos como vômitos ou abuso de laxantes para impedir o ganho de peso), anorexia (distúrbio alimentar caracterizado por uma rígida e insuficiente dieta alimentar), distúrbio de humor e até depressão.

Dr. Bruno explica que esses problemas surgem no momento em que, para alcançarem o "corpo perfeito", essas mulheres apostam nas "dietas da moda" ou as famosas dietas radicais. "Muitas costumam realizar tais procedimentos associados a medicamentos, sem preocuparem-se com os riscos que isso traz à saúde", informa.

Ele também descreve que a obsessão pelo corpo ideal pode gerar, inclusive, problemas de relacionamentos tanto amorosos como sociais, devido às constantes variações de humor e crises depressivas que podem ocorrer. "Para lidar com esse problema é necessário a ajuda de uma equipe multidisciplinar, composta por psiquiatra, gastroenterologista, nutricionista e endocrinologista", sugere.

Dr. Bruno Sander ressalta que para emagrecer de maneira saudável uma alimentação balanceada e exercícios regulares ajudam. "Se você tem IMC (Índice de Massa Corporal) acima de 27 e é avessas aos tratamentos convencionais, indico o uso do balão intragástrico (Sistema Orbera), por ser um método simples (endoscópico) e que tem apresentado excelentes resultados", recomenda.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente

Últimas