Os campeões em bactérias

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Bolsas, celulares e outros acessórios podem ser contaminados por você!

Os campeões em bactérias

Nós sabemos que a transmissão de diferentes tipos de doenças acontece pelo ar, quando estamos em locais de grande aglomeração e também por meio dos objetos que tocamos, principalmente quando não fazemos uma boa e constante higienização das mãos e dos materiais que manipulamos.

Para você ter uma ideia de como a falta de cuidado com a higiene das mãos pode ser perigosa, em 2001, a Universidade Queen Mary, de Londres, analisou 300 carros e encontrou uma média de 700 bactérias no volante, câmbio e bancos traseiros.

Ao responderem a uma entrevista, 42% dos donos dos carros disseram que tinham o costume de comer enquanto dirigiam. As bactérias mais identificadas foram a Arthrobacter, encontrada na pele humana e no solo, e a Bacillus cereus, relacionada à intoxicação alimentar.

A tela touchscreen, que hoje faz parte do dia a dia de muita gente, pode transmitir bactérias e também o vírus da gripe. A conclusão veio de um estudo da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, realizado em 2010. E, de acordo com o jornal que publicou a informação, o "The Sacramento Bee", telefones celulares carregam 18 vezes mais bactérias, vírus e outros micróbios do que a válvula de descarga de um típico banheiro masculino.

Segundo a infectologista Dra, Graziella Hanna Pereira, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, as bactérias encontradas nos objetos são de transmissão feco-oral, como as Enterobactérias e os Enterovirus. As enterobactérias correspondem a um grupo que pode causar infecções do aparelho gastrointestinal e de outros órgãos do corpo. E os enterovirus se multiplicam no intestino.

"Todos os objetos manipulados com as mãos contaminadas podem transmitir bactérias, como celulares, bolsas, anéis, pulseiras e relógios", comenta a infectologista. Dinheiro, maçanetas, torneiras, carrinho de supermercado e mouse são outros exemplos.

"Para minimizar a transmissão a dica é lavar as mãos com água e sabão ou usar álcool gel após a contaminação das mãos com secreções, sangue ou após o uso do banheiro", orienta a Dra. Graziella. Os objetos também precisam de limpeza. "Se for possível, lave-os com água e/ou sabão ou álcool periodicamente", completa.

A médica finaliza pedindo a atenção especial de mulheres que usam unhas postiças. "Nesses objetos as bactérias podem aderir e serem de difícil higienização."

Juliana Falcão (MBPress)

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas