Pessoa que faz

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Pessoa que faz

Viver em família faz com que as crianças assimilem os comportamentos dos pais ou de quem as educa e convive.

Como já escrevi em outras matérias, o fator genético para engordar existe, mas em porcentagem muito pequena, mais ou menos 4 % dos casos. O que existe na realidade é que os filhos herdam os comportamentos de seus pais por ouví-los, por comer o que os pais comem, por falar o que eles falam, enfim adquirem as crenças e comportamentos deles.

Quando o filho "quer" realmente passar por um processo de emagrecimento, ele dependerá das pessoas com quem convive, no sentido de não provocá-lo com doces, guloseimas, bolos, refrigerantes, etc.

A pessoa que cumpre fielmente esse papel é a mãe. O amor pelo filho é a mola mestra do emagrecimento. Quando deparo com uma mãe com esta virtude, o emagrecimento de seu filho é satisfatório.

A mãe que faz é aquela que primeiro incentiva de forma adequada e inigualável o filho a emagrecer. Observa delicadamente que ele está ligeiramente obeso, ou que seus "pneuzinhos" estão aumentados e as roupas não estão lhe caindo bem.

É muito diferente de um pai, que como a maioria dos homens, é racional e fala as verdades de forma rude, sem rodeios, pois acha lógico que o filho que está obeso tenha que emagrecer e pronto. Homem é prático, age com o lado esquerdo do cérebro, que é lógico, racional. Não colore as situações, não coloca amor nas conversas, mesmo que sejam verdades.

Voltando à mãe que faz, ela incentiva, orienta e o mais importante de tudo: no processo de emagrecimento, elabora o cardápio da melhor forma que determinado profissional da área de saúde receitou.

Se forem três torradas pela manhã com pouca margarina light no café, bem antes do filho acordar, lá estão as torradas preparadas. A fruta, o leite ou o chá, ou suco, etc. Tudo está antecipadamente preparado.

Da mesma forma, os lanches, o almoço e jantar, cuidadosamente organizados, nas quantidades adequadas e sem pena da quantidade reduzida. Cardápio para emagrecer tem que ser pouco mesmo.

Isso facilita demais quem está querendo emagrecer, pois não precisa pensar em escolher e preparar os alimentos, não corre o risco de comer a mais por ser bonzinho com ele próprio e aumentar as quantidades. O emagrecimento flui. Portanto, vemos mais uma situação em que o amor favorece e estimula. Mãe é a pessoa que faz.

Aguardo perguntas e sugestões.

   

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas