Por que ser um doador de sangue?

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Conheça os benefícios e as vantagens de participar desta doação

Por que ser um doador de sangue

Um gesto de solidariedade, doar sangue é essencial para salvar a vida do próximo. O ideal para não ter desabastecimento seria de que pelo menos 5% da população mundial fossem doadores de sangue, mas isso está longe do cenário atual. No Brasil, por exemplo, somente 2% das pessoas doam sangue. Como fazer para incentivar a doação? Quais os benefícios para quem está doando? Faz mal para a saúde?

Um medo não é preciso ter: a doação de sangue não faz mal algum para quem doa. Pelo contrário, pode até fazer bem. Segundo especialistas, um estudo realizado na Finlândia aponta que a doação pode diminuir em 86% os riscos de problemas cardiovasculares no homem. Isso porque o excesso de ferro acumulado no sangue se torna um potencial agente oxidante e atua como catalisador da geração de radicais livres. Essas substâncias tóxicas produzidas pelo organismo podem propiciar doenças cardíacas.

Ao contrário do que dizem os mitos populares, a doação de sangue não engorda, não emagrece, não afina ou engrossa o sangue. Para doar, basta comparecer a um hemocentro ou hospital com posto de coleta, preencher um questionário, passar por um teste e entrevista e pronto. Se o doador estiver em perfeitas condições de saúde, seu sangue será coletado, testado e passará a fazer parte de um banco. Uma única unidade doada pode ajudar até três pessoas.

Para ser um doador, além das boas condições de saúde, é preciso ter entre 16 e 69 anos (os menores de 18 precisam de formulário de autorização), pesar no mínimo 50 kg, estar descansado e alimentado. Resfriado, gravidez, parto, amamentação, ingestão de bebidas alcoólicas, tatuagem e piercing, risco de doenças sexualmente transmissíveis e malária são impedimentos temporários para a doação, cada um com seu prazo.

No caso da tatuagem, por exemplo, é preciso esperar um ano após o desenho para doar sangue. Tudo isso para se ter certeza da plena saúde. Existe um período chamado de "janela imunológica" na qual doenças como Aids e Hepatite não aparecem nos exames, mas podem ser transmitidas. Por isso, é necessário ser sincero na entrevista e esperar essa janela de seis meses após uma situação de risco para doar sangue.

Com tudo certo, você pode se tornar um doador habitual de sangue. Entre cada doação, para as mulheres, é preciso esperar 90 dias. Já os homens devem respeitar o intervalo de 60 dias entre cada ato. Isso para não acarretar em problemas de saúde. No dia da doação você ganha um "dia livre" no trabalho, um lanche e a certeza de que fará bem para alguma pessoa. Ajudar a vida do outro é muito simples, basta você querer.

Por Ana Gissoni

leia também


  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Assuntos relacionados: doar sangue

Últimas