Quem é você?

Quem é você

Praticamente todas as pessoas obesas querem emagrecer e pertencer ao mundo dos bem aceitos na sociedade em que vivem.

Se o padrão é magro, todos querem ser magros. Acontece que o ser humano é constituído de dois componentes: o consciente e o inconsciente.

O primeiro, o consciente, estabelece as conexões com o meio por intermédio das percepções: visual, auditiva, tato, paladar e olfativa e ainda da intuição. Ele raciocina, tem vontade própria, analisa, julga e decide se é bom ou ruim. Tudo isso em tempo real.

O segundo, o inconsciente, não decide nada, não analisa, não julga, não tem vontade própria, apenas registra tudo - mas tudo mesmo - sem deixar nada de lado. É um banco de dados que mantém as informações que valem sempre para o tempo presente. Para ele não tem passado ou futuro. Tudo é válido como foi mandado registrar pelo consciente no momento em que ocorreu a experiência.

Concluímos, então, que uma experiência vivenciada na infância permanece inalterada para sempre, ou melhor, até o momento em que se queira modificá-la pelo consciente.

Acrescentamos que essas gravações no inconsciente são fortes e dirigem a vida da pessoa fielmente. Para modificá-las, o que é perfeitamente possível, é necessário ou um choque emocional ou muita repetição.

A maioria das experiências de vida são gravadas até a idade de sete anos e conseqüentemente provindas do relacionamento com os pais ou com quem está criando essa criança. Nessa idade a criança cria sua identidade, mas não por vontade sua apenas e sim pelas opiniões, palpites, comportamentos e ordens dos outros.

Se pensarmos em alimentação, uma criança com seis anos sabe o que é bom ou ruim para o seu organismo? Ela apenas registrará a informação pelo seu prazer. Por exemplo, se comeu um doce e gostou, essa experiência fica gravada sem medir as conseqüências futuras. Para ela aquele doce é gostoso, lhe dá prazer e fim.

Esta fase, até os sete anos, em Programação Neurolinguística chama-se absorção. A criança faz aquilo que lhe ensinam. Dos sete aos catorze anos aproximadamente é a fase da modelagem, pois a criança, pelo seu consciente, já faz questionamentos e procura fazer mais pelo que vê na vida. O seu horizonte já fica mais extenso e não só do lar em que habita.

Quando atinge os catorze anos, o adolescente entra na fase de socialização e começa a firmar seus próprios referenciais com ajustes de suas escolhas. É um período de muita flexibilidade. Gosto de trabalhar com adolescentes que querem emagrecer porque eles estão abertos ao novo aprendizado. Pelo menos julgam e escolhem as novas opções.

O emagrecimento deve passar por essas considerações, para que seja uma verdadeira mudança nas crenças, reforçando a identidade correta da pessoa. Para isso é preciso conhecimento.

Aguardo perguntas e sugestões.

Comente

Últimas