Saindo do atoleiro

Saindo do atoleiro

"Desafie-se, acima de tudo. Talvez você se surpreenda com seus pontos fortes e com o que você pode realizar". Cecile M. Springer

Com freqüência começo meu seminário Sucesso em Tempo de Mudanças com a experiência a seguir. Espero todas as pessoas se sentarem confortavelmente. Depois digo-lhes para pegarem seus pertences e encontrar outro lugar para sentar-se. Você não imagina os resmungos que ouço e os olhares irritados do qual sou alvo.

Mas, após alguns momentos de hesitação, a maioria delas se levanta. Então, eu digo: "Parem, vocês podem ficar onde estão". Todos deixam-se cair em seus assentos com um grande suspiro de alívio.

A seguir, faço esta pergunta: "obviamente muitos de vocês ficaram aborrecidos quando eu lhes disse para trocar de lugar. Por que?" Algumas pessoas dizem que estavam confortáveis e não queriam fazer isso. Outras dizem que gostam de se sentar perto de seus amigos. Algumas salientam que podem ver melhor de onde estão. Umas poucas dizem que não gostam que alguém lhes diga onde devem se sentar. A maioria concorda em que poderia trocar de lugar se fosse preciso. Também diz que quanto mais perto o novo assento fosse do original, mais fácil seria fazer a mudança.

Então pergunto: "Se uma pequena mudança como sentar em um lugar diferente na mesma sala lhes causa tanto desconforto, como se sentiriam com uma grande mudança?" Todos riem e entendem o que quero dizer. Se fazer pequenas mudanças é problemático, fazer uma grande mudança parece ser impossível. A maioria de nós deseja obter sucesso em sua vida pessoal, profissional e familiar, e, freqüentemente, não quer ou não consegue fazer as mudanças necessárias para atingir seus objetivos.

Muitas vezes as pessoas ficam presas em suas teias de insatisfação. Elas reclamam da vida que estão vivendo. No entanto, não fazem nada para modificar isso. Todos nós conhecemos alguém que sinceramente acredita que não há nada a fazer para melhorar sua situação. Essas pessoas dizem coisas como "é tarde demais para recomeçar", ou "já não tenho mais idade para isso". Elas podem não saber conscientemente, mas mergulharam num atoleiro de negatividade, cercado de barreiras construídas pela familiaridade e pelo conforto.

Você sabe quando tem uma sensação de aperto por dentro. Da mesma forma, você sabe quando está apenas deixando o tempo passar - o dia, a semana, o mês, o trimestre. Você sabe quando sente que falta alguma coisa na sua vida. Quando a consciência dessa sensação aflora, você só tem duas opções. Pode tentar ignorá-la e insistir no seu sofrimento, ou pode modificar as coisas.

A vida é o que se faz com ela. Poucas pessoas se dão conta deste fato e a maioria fica presa numa rotina com poucos atrativos que, em geral, dura anos e anos e, na maior parte das vezes, dura toda vida. As rotinas podem até ser cômodas, mas inibem e restringem. Você se encontra numa situação semelhante? Pergunte a si mesmo qual foi o progresso que fez nos últimos cinco anos. E nos últimos dez. Se alcançou pouco ou nada, terá que introduzir mudanças que melhorem suas possibilidades de sucesso no futuro.

O elemento principal do qual você precisa para sair do atoleiro da zona de conforto é a disposição. Sem a disposição para melhorar sua situação, você não pode reunir a energia e a criatividade de que vai precisar para modificar a vida. A pessoa que você será no futuro depende do tipo de mudança que você fará agora. Você está disposto a mudar para melhor, ou prefere ficar onde está? Lembre que só cabe a você o que você quer da sua vida.

Comente

Últimas