Terapia para emagrecer

Veja como a Terapia Cognitiva Comportamental pode te ajudar a eliminar peso

Terapia para emagrecer

Você já fez inúmeras dietas para eliminar o sobrepeso, mas sempre volta a engordar mais do que antes? Saiba que uma solução para o seu problema pode estar em uma terapia cognitiva comportamental. 

Ela constitui em uma série de entrevistas que auxilia a internalizar os conceitos de nutrição. Desse modo, o tratamento envolve uma modificação nos hábitos alimentares e ajuda a compreender que o correto é comer menos para comer melhor.

"A terapia ajuda pessoas que têm longo histórico de dietas mal sucedidas e que ficam no efeito sanfona. Através do método é possível controlar as emoções como ansiedade, depressão e estresse", descreve o psicólogo clínico e psicoterapeuta Marco Antonio De Tommaso , especialista em programas de emagrecimento.

E além do controle da comilança, a terapia proporciona o autoconhecimento. "Em nosso dia a dia sabemos o que fazer, porém, muitas vezes não conseguimos, pois reincidimos nos mesmos erros. A comida adquire outra função em nossas vidas que não a de nutrir, mas sim de compensação por determinados sentimentos", diz o especialista.

Consequentemente, o comportamento alimentar inadequado sabota o comportamento nutricional. "É aí que entra a psicologia. Ela identificará quais são os fatores que levam uma pessoa a comer de maneira compulsiva. E um dos objetivos da mesma é viabilizar o resgate da autoestima que está muito abalada devido à obesidade", afirma Tommaso.

Embora existam terapias breves de 12 sessões, o psicólogo informa que não existe um tempo mínimo ou máximo para realizar o tratamento. "Tem pessoas que respondem bem e outras não. Mesmo nas terapias breves, muitas vezes o especialista precisa ficar adicionando mais 12 e assim sucessivamente", afirma.

De acordo com Marco Antonio quem a realiza aprende a emagrecer e permanecer magra, pelo fato de que tem um propósito diariamente, ou seja, nunca deixa de anotar as calorias e resiste às tentações. "Não emagreça por apenas um tempo, lembre-se de proceder todos os dias como se estivesse no primeiro, em qualquer programa de emagrecimento em que se engaje", orienta.

Acompanhe algumas dicas inicias da psicologia no emagrecimento, desenvolvidas por Tommaso:

1. Troque "o regime" por orientação nutricional.

2. Não tenha pressa! Cada pessoa tem um ritmo de emagrecimento.

3. Troque o "peso ideal" por um peso viável. Que tal um peso, dentro de seu peso clínico, no qual se sinta bonita e atraente?

4. Lembre-se, você precisa se gostar para emagrecer e não emagrecer para se gostar. Quem não se gosta, quem não tem uma autoestima legal, não emagrece.

5. Cuide do processo! O emagrecimento virá como consequência.

6. Se você come por ansiedade, stress ou por qualquer outra emoção, precisará trabalhar essa emoção, se quiser emagrecer.

7. Faça atividade física. O melhor exercício físico é aquele que, mesmo cansada hoje, você tem vontade de fazer amanhã. Lembre-se que a endorfina, uma "droga do bem" produzida por seu cérebro quando se exercita, traz prazer e ajuda no emagrecimento.

8. Faça da comida um prazer, mas não o prazer da comida. Desenvolva outras fontes de gratificação.

9. Encare os erros como oportunidades de aprendizado e não como catástrofes.

10. Lembre-se do mandamento maior quando se fala em autoestima: não se lamente! Faça!

11. Cuidado com "dietas loucas"! Não existem milagres!

12. Engolir sapos engorda! Desenvolva a assertividade, capacidade de reivindicar seus direitos adequadamente, respeitando o dos outros, de se posicionar de maneira afirmativa, não agressiva nem omissa.

13. Como estão suas emoções? Você as leva ao prato? Não se cura ansiedade e tristeza com comida.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente

Últimas