Traição: é possível superar?

Veja as dicas da especialista e saiba avaliar uma situação como essa
Traição é possível superar

Não há relação aparentemente firme e feliz que não se abale com uma traição. O clima de decepção e raiva toma conta dos parceiros, que jogam um para o outro a culpa pelo que aconteceu.

Há quem pense que só a falta de satisfação na cama leve os parceiros a cometer a traição, mas os motivos vão muito além. "Sexo é importantíssimo, porém carinho, apoio emocional, diálogo, comportamento, cumplicidade são essenciais para manter um relacionamento", avalia Sheila Rigler, especialista em relacionamentos proprietária da agência Par Ideal.

A especialista acredita que os motivos que levam homens e mulheres a trair são bem diferentes. As mulheres precisam de um pretexto para serem infiéis e, quando traem, geralmente acabam se envolvendo com o amante. As explicações delas vão desde a insatisfação no casamento, ausência do marido, dificuldades financeiras, cansaço da rotina e até mesmo pouco diálogo com o parceiro.

Já para os homens o principal motivo é a insatisfação emocional. Eles sentem falta de carinho, reconhecimento e incentivo e encontram estas características no envolvimento com outras mulheres, fora do casamento. Outra razão é a falta de atração sexual pela companheira. "Há ainda homens que traem, porque acham que esta é uma demonstração de virilidade. Eles não mantêm uma amante fixa, mas, sempre que podem, têm relações extraconjugais. Consideram isto um passatempo masculino, fazendo média com os amigos", diz Sheila.

Especialistas dizem que, em caso de traição, a mulher costuma se culpar, tentando encontrar nela os motivos pelo qual o homem tomou essa decisão. Mas, na opinião de Sheila, a culpa da traição sempre recai sobre o homem. Se ele é infiel, atribui-se a culpa a ele, pois "pulou a cerca". E se a mulher é infiel, é uma "coitadinha", pois seu marido não era bom o suficiente para suprir todas as suas necessidades.

De qualquer forma, quando a traição é descoberta, antes de tomar uma medida precipitada, o casal deve conversar e tentar esclarecer toda a situação. Se depois disso a mulher decidir que não quer retomar a relação, precisa criar forças e olhar para a frente. Uma separação é dolorosa e tem um tempo de luto. Mas esta etapa triste tem um prazo.

"Nesta fase a mulher deve procurar a família e os amigos e pedir ajuda. E pode chorar, se quiser. Toda essa dor vai acabar e o tempo será o melhor amigo. Ame-se, redescubra-se e não se descuide. Homens gostam de mulheres bem cuidadas, arrumadas e de bem com a vida. Quando passar o seu luto e você acreditar em si mesma e se abrir para encontrar um novo amor, ele poderá estar aonde você nem imagina", orienta Sheila.

Além disso, a partir do momento em que ocorre a traição, é dado início ao ciclo de desconfiança, grude e ciúme, o que pode piorar ainda mais a situação. Veja no vídeo abaixo mais sobre esse assunto:

Agora se a sua decisão é manter a relação, siga essas dicas da especialista:

- Siga realmente em frente e esqueça o que aconteceu.

- Se achar necessário procure ajuda profissional e até mesmo uma terapia de casal.

- Invista mais tempo e atenção no relacionamento do casal. Cuidados com a aparência, bom humor e a dedicação demonstrada no processo de conquista não devem ser abandonados com o tempo, mas, sim, mantidos, pois são o segredo para um relacionamento feliz e distante da infidelidade.

- Evite que o tempo com o companheiro em casa seja marcado por cobranças e problemas.

- Os amigos do seu marido que traem as esposas são apontados como incentivadores da infidelidade. Se não puder cortar a convivência com eles tente ficar próxima deles, sempre com muita discrição e simpatia, de forma que não afetem o seu relacionamento e que o marido não perceba.

- Só volte com seu marido se realmente puder perdoar e ser feliz. Viver uma vida para controlar e vigiar o outro não vale a pena.

Juliana Falcão (MBPress)


Comente

Últimas