Transtornos alimentares: anorexia

Transtornos alimentares anorexia

Um dos transtornos alimentares mais comuns é a anorexia, que é a perda progressiva de peso e a recusa em comer. As respostas para a pergunta por que estou fazendo algo que nem tenho coragem de admitir e que está me destruindo? podem ser muitas para quem sofre de um transtorno alimentar como a anorexia. O importante é cada pessoa querer buscar as suas próprias respostas.

Vale lembrar que é muito mais fácil se beneficiar de um tratamento, como também é mais fácil ajudar alguém com anorexia, quando o transtorno é diagnosticado no início. O assunto é sério e requer muito cuidado, pois segundo pesquisas, 1% da população, principalmente a feminina, entre 15 e 30 anos desenvolve anorexia e 6% a 10% morrem em decorrência da doença.

A anorexia se desenvolve em um período de tempo em que a pessoa muda seus padrões alimentares do normal para uma dieta muito restrita. Esse processo pode durar meses ou anos para atingir graus mais elevados. Ou seja, a pessoa continua a fazer a dieta mesmo quando já alcançou o peso desejado. O perigo está quando a pessoa começa a cortar de sua alimentação alimentos nutritivos, ficando mais sujeita a desenvolver outras doenças.

O que começou com controle começa a ficar fora do controle, mas a pessoa geralmente não se dá conta disso. Com o tempo esse comportamento pode afetar o convívio social, familiar, afastando-se das pessoas que percebem seus hábitos inadequados.

Se forem convidadas a comer, em geral dizem já terem se alimentado ou que não estão com fome. Algumas pessoas chegam a esconder a comida no guardanapo ou no bolso para depois jogar fora. Outras passam o dia inteiro pensando no quanto comeram, no quanto comerão, com a intenção de diminuírem ainda mais o que comem. Estão sempre atenta para as calorias dos alimentos, fazendo contas e mais contas. Tudo para não aumentarem seu peso.

O que pode chamar a atenção é que a restrição alimentar para elas não é tão difícil quanto é para a maioria das pessoas. Parecem até gostar da sensação de fome e se disciplinam de uma maneira muito incomum. Acreditam que tudo será maravilhoso quando forem magras e, por mais que já estejam, não é assim que se vêem. A imagem corporal tende a estar totalmente alterada.

Segundo a Associação Americana de Psiquiatria, a pessoa com anorexia desenvolve as seguintes características:

  • Recusa em manter o peso do corpo no mínimo normal para a idade e altura; por exemplo, perda que leva a manter o peso do corpo 15% mais baixo do que o esperado;
  • Medo intenso de ganhar peso ou engordar, mesmo quando abaixo do esperado;
  • Há uma distorção da imagem corporal; por exemplo, a pessoa se queixa de se sentir gorda, acima do peso mesmo quando está abaixo do peso considerado normal.
  • Por que? As causas podem ser muitas, porém o mais comum é que tenha sido criada num ambiente onde seus sentimentos não podiam ser expressos, em especial os negativos. Assim, não podendo expressar ou falar sobre o que sente, também não aprende a identificar e, pior, passará a acreditar que é errado sentir seja o que for.

    O resultado será achar difícil aceitar que tem sentimentos, passando a negá-los. Desenvolve assim uma característica comum de quem tem anorexia: nunca sabe o que sente ou se sente alguma coisa. Diante disso se torna fácil negar sua fome, como se realmente não a sentisse. Mas na verdade, é como se tivesse aprendido a negar toda e qualquer necessidade.

    Com frequência são pessoas muito críticas consigo mesmas e estão sempre negando suas necessidades, de alimentos, de descanso, entre outras. No fundo, sentem que tudo que fazem está errado, crença que acaba se concretizando por serem muito criticadas por seus comportamentos.

    Não comer é apenas um aspecto de todo o problema que é ser incapaz de identificar seus sentimentos. Ela não sabe que tem fome, se está triste, frustrada, não consegue identificar nada. É preciso desenvolver aos poucos sua capacidade de identificar seus sentimentos e suas necessidades.

    Esse processo deve ser lento e deve ser feito com o acompanhamento de um profissional para que possa elaborar todas as necessidades que começarão a surgir durante o processo de descoberta de tudo que foi reprimido durante anos e, principalmente, de si mesma. Quando começar a perceber que suas necessidades são importantes, que podem ser satisfeitas e começar a se permitir sentir, comer, com certeza estarão no caminho de sua recuperação.    

    Comente

    Últimas