Você age como criança querendo tudo na hora?

Você age como criança querendo tudo na hora

O mês das crianças pode ser um bom momento para pensar se você está agindo como a criança que foi um dia e aprender com tudo isso. Já ouviu falar que essa criança ainda permanece dentro de você e que as dificuldades que está sentindo em seguir um novo plano alimentar pode ser um reflexo da falta de conexão com sua criança?

Sabe que ao reencontrá-la ela poderá te ajudar? O fato de negar essa criança e suas necessidades pode fazer com que você busque satisfazê-la sem controle, pois tudo acontece de forma inconsciente, ou seja, você não pensa para agir desse ou daquele modo,  simplesmente age.

Todos nós temos dois aspectos em nossa personalidade: o Adulto e a Criança. Quando essas duas dimensões estão em sintonia, temos uma sensação de totalidade. Quando por alguma razão estão desconectadas, a sensação interior poderá ser de conflito, vazio, que busca preencher de alguma forma.

Quando crianças buscamos aliviar nossas necessidades de forma imediata. A criança quando quer comer, ela não quer saber se tem comida, quem vai fazer, se tem dinheiro, ela quer comer e pronto! E espera que seja atendida na hora. Quantos adultos não agem como a criança e desejam que seus desejos e necessidades sejam satisfeitos da mesma forma: imediatamente? As pessoas que têm dificuldade em controlar sua alimentação geralmente agem da mesma maneira, não pensam, simplesmente comem.

A Criança Interior quando se sente desesperadamente isolada e solitária, por não ser reconhecida nem atendida em suas necessidades, em geral é impulsiva, sem controle dos seus comportamentos, fazendo as coisas sem pensar, como comer compulsivamente. É importante, portanto, não agir como a criança e aprender a adiar o prazer.

Não me refiro ao horário de sua alimentação segundo seu cardápio, mas sim daqueles momentos que você está com vontade de comer e insiste em comer só mais um pouquinho, ou quando comeu há pouco tempo e já está buscando algo mais para mastigar. Ou ainda, quando você tem o hábito de comer um bombom, uma barra de chocolate, um pedaço de bolo e só pára depois de comer tudo.

Igual a criança que não sabe o limite de quando deve parar e faz birra até conseguir o que deseja. Come sem avaliar ou pensar nas conseqüências, sem lembrar da culpa que isso vai gerar nem do quanto estará prejudicando todo seu processo em seguir um programa de reeducação alimentar. A criança geralmente tem um adulto que pensa por ela e a orienta de maneira adequada, mas e você?

Quando surgir alguma dificuldade é importante identificá-la para que não busque outras formas de aliviar a tensão emocional reprimida. Por exemplo, quando estiver com problemas no trabalho ou na relação afetiva, identifique o que te causa angústia e insatisfação e procure resolver de forma saudável para que não busque outras formas de compensar, no caso, comendo compulsivamente.

Muitas pessoas que sentem necessidade de obter uma satisfação imediata na alimentação têm essa necessidade também em outras atividades. Se precisar ligar a televisão no exato minuto em que entra em sua casa, tente adiar esse prazer. Se precisar comprar algo imediatamente ao ver na vitrine, tente adiar sua ida às compras em vez de comprar compulsivamente. Assim estará treinando também em relação à sua capacidade de adiar o prazer de comer compulsivamente.

Quem passou por privações de comida quando criança ou teve que competir com irmãos para comer acaba por comer de forma descontrolada. Inconscientemente come como se o amanhã não existisse, com medo de amanhã não ter esse alimento, como se sentisse muito medo de passar novamente por privações.

Para aprender a entrar em contato com a criança que você foi um dia, procure lembrar de como era o momento de sua alimentação. Você passou por algum tipo de privação? Ou aconteceu o contrário, era incentivada a comer e se comesse tudo, era elogiada? Será que você aprendeu que ao comer tudo seria recompensada com aquela sobremesa deliciosa ou ganharia um presente? Ou seja, recebia sempre uma recompensa por comer tudo.

Quem age sem pensar é a sua parte criança e, mesmo ela existindo dentro de você, agora poderá orientá-la do que é certo. Para fazer isso você pode imaginar-se conversando com você quando criança, como se realmente estivesse com uma criança à sua frente e dizer palavras que poderão ensinar-lhe como agir sem que prejudique seu adulto.

Ouça sua criança, o que ela pediria a você? Que tal levá-la para passear, brincar um pouco mais? Ouça também seu adulto e lembre-se que seu desejo de ficar mais magra agora é mais importante para você do que satisfazer seus desejos imediatos de maneira compulsiva. Comece a pensar e agir de maneira equilibrada.

Nos momentos de desejo incontrolável, você deve pensar no que é mais importante, satisfazer um desejo imediato ou adiar o prazer e alcançar os resultados que deseja? Adiar a satisfação quando estiver diante da tentação de comer proporcionará resultados e prazer ainda maiores e sua motivação para atingir seus objetivos aumentará seu amor por você mesma e por sua criança, que na verdade não quer comida, mas apenas mais atenção e amor!    

Comente

Últimas