Você é a bela adormecida?

Você é a bela adormecida

Quem se identifica com a Bela Adormecida deve entrar em contato com os sentimentos. Analisar algumas histórias e mitos que enfocam o aspecto feminino, compreendendo o lado místico, simbólico e relacioná-lo com a obesidade pode ser a porta de saída do conflito para quem busca entender o processo da obesidade. São possíveis várias interpretações, da qual vou relacionar apenas.

Na história da Bela Adormecida temos uma menina ansiosamente aguardada, cujo nascimento foi celebrado com uma grande festa e bênçãos de três fadas madrinhas com: beleza, bondade, uma linda voz e alegria. No meio da festa, porém, aparece a fada má, que não havia sido convidada e em meio a um grande tumulto decreta que a princesinha morrerá aos 15 anos. Uma das três fadas suaviza a maldição que passa a ser que ela cairá em sono profundo.

Encontramos aqui alguns sinais importantes: a princesinha nasce em meio a expectativas fortíssimas que nela foram projetadas e pode se tornar tudo de bom e belo. Ou seja, é muito comum essa projeção feita pelos pais esperando que a filha, ainda criança, corresponda às expectativas do que é o certo para eles, deixando de ser, quando adulta, ela mesma.

E o lado sombrio, diferente ou mau (fada má) não deve participar da festa e nem da vida, ou seja, não deve existir. Condenada a ser perfeita, passa a correr sérios riscos de não poder se desenvolver normalmente depois de instaurados os conflitos da adolescência (15 anos).

Devemos nos lembrar que muitas mulheres, principalmente na adolescência, desejam a busca pelo corpo perfeito e, como perfeição não existe, essa necessidade pode causar muitas vezes frustrações e insatisfações, a distorção da imagem corporal ou a não aceitação do corpo que se tem. Para suportar as insatisfações pode desenvolver a compulsão pela comida.

A menina é afastada do castelo e convívio com os pais, sob o pretexto de protegê-la da fada má, ou seja, seu lado sombrio. Há um movimento claro de rejeição, que faz com que ela cresça sem nenhum contato humano, porque na busca da perfeição a própria humanidade lhe é negada. Quantas mulheres não se afastam de todos por não serem perfeitas?

O mundo da imaginação e sonhos é privilegiado, enquanto que ela não se conecta com a realidade, não sabe quem é, nem o seu papel. É exatamente isso que faz com que as previsões se realizem. Quando no dia da festa de seu aniversário ela volta ao castelo para reassumir sua casa, seu nome, mas ela só poderá ser aceita quando não houver mais perigo de aparecer seu lado sombrio (desde quando isso é possível?). Só que a curiosidade é maior e ela pica o dedo e adormece profundamente junto com todo o castelo. Em torno do castelo cresce uma densa floresta de espinhos, ocultando tudo.

Essas grossas muralhas podem ilustrar a obesidade como uma opção de defesa para quem, como a Bela Adormecida, teve que conter seu eu interior. A exigência de perfeição a impediu de confrontar seu lado sombrio, que não poderia mais ser mantido sob controle. Essa sombra, que é tudo aquilo que não queremos ver, todos têm, e ao negá-la se torna muito mais difícil mudar ou controlar. Ocorre uma divisão: o eu verdadeiro dorme, enquanto que a fada má , a sombra inconsciente, habita o corpo.

Essa somatização da sombra faz com que o corpo funcione defensivamente e expresse a agressividade que a pessoa não consegue ousar expressar. O corpo mal tratado, desleixado, é portador da raiva que tona pública: o objetivo é chocar.

Na história, quem chega para acordá-la é um príncipe, que pode simbolizar aspectos criativos e que consegue transpor espinheiros e muralhas para mostrar que ela pode ser amada como é. O beijo através da troca de ar entre as pessoas pode acordar a alma.

Uma mulher que vive esse mito tem dificuldade de vivenciar a realidade, a sexualidade e sua natureza humana. Come compulsivamente para tentar suprir tudo que lhe foi negado e compensar a solidão, mas está dissociada de sua identidade. A negação da realidade, como também a negação de quem é e o que sente pode causar muito sofrimento.

Para quem se identifica com a Bela Adormecida o mais indicado é entrar em contato com os sentimentos, com seu lado sombrio, com a realidade e saber que é possível mudar o que for preciso. Mas, para isso, é preciso ter consciência do que deve ser mudado, sem fugas, sem negações, cobranças ou culpas por não ser quem esperavam que fosse.

Ao aceitar-se como um ser inteiro, com um lado sombrio, mas também com um potencial a ser desenvolvido, não mais precisará se esconder atrás de uma camada de gordura ou alimentar um vazio existente pela anulação de si mesma com mais e mais comida.    

Comente

Assuntos relacionados: psicologia mulheres bela adormecida meninas

Últimas