Você é Branca de Neve?

Você é Branca de Neve

Analisar algumas histórias e mitos que enfocam o aspecto feminino, compreendendo o lado mítico, simbólico e relacioná-lo com a obesidade pode ser a porta de saída do conflito para quem busca entender o processo da obesidade.

São possíveis várias interpretações, da qual vou relacionar apenas uma, ilustrando distúrbios alimentares que podem se instalar da adolescência em diante. Na história da Branca de Neve encontramos uma madrasta, que pode representar uma mãe negativa, que não se interessou em ser efetivamente mãe e, provavelmente, não foi bem sucedida em seu desenvolvimento porque tem uma estrutura muito narcísica e ressentida. A insatisfação se transforma em competitividade com a filha, que é ignorada em suas necessidades, não sendo reconhecida como um ser humano. Mas, quando entra na adolescência, a sua beleza aparece e a mãe a inveja profundamente.

Há uma clara percepção de que a menina ultrapassará a mãe - Branca de Neve é a mais bela - e o ódio e a frustração da mãe se dirigem a tentar matar essa filha, simbolicamente anulá-la, impedí-la de crescer. O pai da história é tão ausente que não consegue se interpor nessa relação destrutiva para defender a filha. Quantas mulheres não viveram esse drama?

Branca de Neve é levada para a floresta, onde um caçador deve matá-la e entregar seu coração para a mãe. Ao matar e retirar seu coração podemos entender que ela deve alienar-se de suas emoções, até porque é terrível demais confrontar a rejeição e o ódio da mãe. O único sentimento que lhe resta é o medo e a vontade de sobreviver. Todo seu eu se recolhe, reprimido e acuado. Quantas pessoas não vivem alienadas de seus sentimentos, como se não os sentissem e assim, buscam compensá-los com comida?

Os anões podem ser vistos como emissários da mãe boa que a menina deseja, ou como expressões de uma formação ainda precária. Eles proporcionam para Branca de Neve um período de paz, mas ela parece só se preocupar em ser gentil e prestativa, provavelmente com muito medo de ser expulsa novamente.

Quantas mulheres que têm confiança básica seriamente abalada tentam seduzir e agradar a todos para sua própria sobrevivência num mundo que lhes foi sentido como hostil desde criança? Branca de Neve, em sua falsa segurança, esquece que continua a correr perigo. Seus instintos alienados não são associados quando aparece uma velhinha (a bruxa) oferecendo-lhe lindas maçãs, porém, envenenadas. Ela come uma, que fica presa em sua garganta, e cai, aparentemente morta.

A bruxa pode representar a mãe negativa concreta e seu poder é sustentado pela conexão com toda a força do lado negativo feminino internalizado pela Branca de Neve. A procura pelo prazer imediato, a compulsão que a faz ingerir um alimento envenenado pode apontar para a escolha da obesidade ou da anorexia, ainda que inconsciente, como tentativa de defesa que a torna tragicamente vítima da própria força que ela tenta combater.

O tema da morte, desmaio, adormecimento, indica que o eu interior, sem acesso a sentimentos, se ausenta do processo morrendo , não para renascer, mas para ser encarcerado, dessa vez num caixão de vidro. Caixas, caixões e invólucros de vidro ou de plásticos transparentes aparecem muito nos sonhos de pessoas obesas.

O vidro é uma substância que, como a gordura, é altamente isolante, envolvendo a alma de forma eficientemente protetora, mas encerrando-a cruelmente. Não sendo um condutor de calor, mantém o núcleo do ser sem contato com a paixão pela vida. Como o vidro é transparente, indica que o lado sedutor e agradável da personalidade continua a funcionar, porém oculto pela própria necessidade de defesa.

Quando um homem a alcança, Branca de Neve vomita a maçã e pode respirar novamente. Esse encontro com o homem pode simbolizar o encontro com o amor verdadeiro e o controle da compulsão na obesidade e a ingestão de alimentos na anorexia. Parece também que quem sofre de bulimia tenta vomitar o alimento junto com o veneno paralisante da mãe negativa introjetada.

O conto da Branca de Neve acaba bem, mostrando que o encerramento no caixão foi uma fase de morte para o renascimento e se concretiza a passagem de menina para mulher. Para as Brancas de Neves da vida, o prognóstico também pode ser positivo. Mas nem sempre elas conseguem efetuar a transição e expelir o veneno, podendo ficar presas em seu lindo caixão, ou voltar a ele. É preciso aprender a vomitar simbolicamente o que aprisiona e voltar-se para os próprios sentimentos, enfim para a vida!    

Comente

Últimas