5 razões para as mulheres praticarem natação

A natação pode ser uma forte aliada do sexo feminino! Confira alguns benefícios deste esporte e saia nadando!
5 razões para as mulheres praticarem natação

Foto: iStock / Wavebreakmedia

A natação é um dos esportes mais completos que existem! Ela estimula o movimento constante além de deixar seus músculos sempre mais resistentes por conta da densidade da água. Por ser extremamente inclusiva e trazer uma diversidade de benefícios, o esporte é perfeito para mulheres.


Prova disso é que a natação pode, sozinha, substituir uma série de outras aulas, com menos chances de lesões e mais diferenciais. Por essas e outras ela é um dos esportes mais procurados nas academias.

Excelente para melhorar o condicionamento físico, ela traz vários outros benefícios ao organismo. Veja aqui motivos para praticar natação:

Menos impacto

Isso significa que a atividade é ideal para pessoas que precisam pegar leve por conta de especificações médicas. Atividades com menos impacto também são mais efetivas pois permitem mais intensidade com menos cansaço.

Te faz uma corredora melhor

Por melhorar sua habilidade respiratória, a natação impulsiona sua capacidade de corrida. Isso é uma ótima notícia para quem quer completar o treino com uma corridinha depois da piscina. A corrida consome gordura como fonte de energia, aumenta a autoestima, diminui o stress e a ansiedade!

Mulheres grávidas podem praticar

Nadar é ideal durante a gestação porque a água suporta o peso do corpo da mulher, o que reduz o estresse nos quadris, joelhos e tornozelos.

Nadar rejuvenesce!

Já foi comprovado que pessoas que nadam regularmente aparentam ser 20 anos mais jovens. A natação afeta a pressão arterial, os níveis de colesterol, o desempenho cardiovascular, a saúde do sistema nervoso central, e o funcionamento cognitivo. Quem precisa de creme anti-idade?

Nadar te deixa mais inteligente

O fluxo de sangue no cérebro aumenta consideravelmente, o que significa ideias mais claras, de acordo com um estudo do "Journal of Physiology".

Por Thamirys Teixeira

Comente

Últimas