Atividade Física e frequência cardíaca: qual a relação?

O controle da frequência cardíaca ajuda na perda de peso

Atividade Física e frequência cardíaca qual a rela

Quem não quer perder alguns quilinhos indesejáveis? Garanto que você já tentou de tudo, desde as diversas dietas (da lua, a da sopa, a de carboidrato, a da água, a da pirâmide alimentar), até os treinos em casa e não deu certo. Aí você recorreu à academia e mesmo assim não ficou satisfeita... Já pensou em aliar seus exercícios físicos à frequência cardíaca?

É isso mesmo! Esse método de perder peso está tomando conta das academias de todo o Brasil. A frequência cardíaca é caracterizada pelo número de vezes que o coração se contrai e relaxa, ou seja, o número de vezes que ele bate por minuto Este é o melhor parâmetro para se monitorar a atividade física e evitar exceder certos limites.

Segundo Rodrigo Assi, treinador do CORE 360º Treinamento Funcional, a relação entre a atividade física e as batidas do coração é de 100%. "Mensurando a frequência cardíaca (FC) identificamos a intensidade do trabalho que está sendo feito e o controle de cada exercício fica mais organizado", explica.

Você deve estar pensando: mas qual é a relação da frequência cardíaca com a perda de peso e a queima de caloria? Rodrigo responde: "Há uma correlação com a intensidade. Quanto maior for a intensidade do trabalho, maior será a frequência cardíaca e, consequentemente, vai influenciar no gasto calórico final."

E exemplifica: "É mais eficiente um indivíduo, correr em uma percepção de esforço entre submáxima e máxima por 20 minutos, com FC entre 75% e 85%, do que caminhar por uma hora, com percepção de esforço de moderado para baixo, com FC entre 40% e 50%".

Ficou interessado em perder peso dessa maneira? O treinador explica o jeito correto de se medir a FC. "Hoje no mercado temos vários aparelhos, de vários fabricantes, mas é só ter um frequencímetro (que são as fitas com relógio) ou, uma forma mais barata e viável, mensurar com a própria mão. O indivíduo identifica com o dedo indicador da mão direta o pulso do lado esquerdo e conta quantas vezes sentiu a pulsação num período de 10 segundos. Depois é só multiplicar por seis, para identificar os batimentos por minuto."

Não é porque você aprendeu a medir a sua FC que já pode usá-la em todos os exercícios. Pelo contrário. Cada atividade tem uma FC diferente. "Isso porque a intensidade muda. Por exemplo, exercícios que utilizam uma articulação só terão uma F.C menor com relação aos exercícios que utilizam o corpo todo de forma integrada", diz o treinador.

Atento a isso, na hora de relacionar atividade física e frequencia cardíaca, Rodrigo aposta num treinamento funcional. "Nele pensamos sempre nos exercícios integrados, que oferecem uma demanda da frequência cardíaca em alta escala", finaliza.

Por Marisa Walsick (MBPress)

Comente

Últimas