Como avaliar a sua capacidade cardiorespiratória

Como avaliar a sua capacidade cardiorespiratória

Existe um método indireto para a avaliação do esforço, chamado percepção de fadiga. Esse índice não mede objetivamente o grau de fadiga, mas dá uma noção do grau de cansaço do aluno quando este está realizando um exercício físico.

De maneira geral, aceita-se a percepção de fadiga, mesmo sendo subjetiva e determinada por fatores fisiológicos, de acordo com o exercício realizado. A tabela de Borg é uma forma mais clássica de avaliação da percepção de fadiga e constatou-se que ela está relacionada com indicadores da intensidade do exercício, entre eles, a freqüência cardíaca, o consumo de oxigênio (VO2), a concentração de lactato e a intensidade do exercício (treino e competição).

Para avaliar o esforço por meio da percepção da fadiga, o ideal é procurar um professor de Educação Física especializado na área e fazer uma avaliação física incluindo teste ergoespirométrico que também irá proporcionar os limiares aeróbio e anaeróbio.

Relação aproximada entre freqüência cardíaca máxima (f.c. máx.) e VO2 máximo:

A f. c. máx. é a medida mais adequada como ponto de partida na prática de qualquer modalidade esportiva. Todos os tipos de medições têm uma confiável relação com o VO2 máx. de cada pessoa.

Também é importante saber que por exemplo, trabalhar com 60% do VO2 máx. não é o mesmo que treinar a 60% da f.c. máx. Dê uma olhada na tabela abaixo:

Como avaliar a sua capacidade cardiorespiratória

Vale considerar que este é um valor aproximado, e pode variar entre os indivíduos, visto que cada um tem um nível de metabolismo.


Comente

Últimas