Correr na rua ou esteira: qual a melhor opção?

Na rua ou na esteira, correr é sempre uma ótima atividade física

Correr na rua ou esteira

Praticar corrida, desde que com boa orientação profissional, pode aumentar a expectativa de vida. É o que concluiu um estudo realizado por pesquisadores do Bispebjerg University Hospital, na Dinamarca. Os dados apresentados na EuroPRevent2012 defendem que duas horas e meia do exercício por semana em um ritmo lento a moderado, pode aumentar o tempo de vida dos homens em 6,2 anos e das mulheres em 5,6 anos.

E na hora de correr a melhor opção é a esteira ou a rua? De acordo com o personal trainer Ricardo Wesley, tudo depende do objetivo. Se a ideia é apenas relaxar, coloque o tênis adequado, uma roupa confortável, boné e vá para a rua. Diversas pesquisas demonstram que correr ao ar livre tem mais benefícios do ponto de vista antiestresse que correr na esteira.

"Se a intenção é treinar para competição - provas de 5 ou 10km - correr na rua ajuda na motivação. Treinando no ritmo certo, durante a prova é possível completar sem muitos problemas", diz Ricardo. "E se o objetivo é se exercitar, não existe diferença, mas é importante ter um treinamento bem planejado e exercícios preventivos para evitar qualquer tipo de problema articular e de excesso de atividade."

Para quem vai correr na rua o personal pede que o atleta tome muito cuidado com a circulação de veículos, principalmente se correr à noite. "O ideal é procurar um parque para poder se exercitar. Caso vá correr em local aberto, vale a pena investir em um colete de sinalização e usá-lo por cima da camiseta", orienta.

Correr na esteira também tem suas vantagens. Segundo Ricardo a pessoa tem maior controle da intensidade da corrida (o que inclui velocidade, inclinação da esteira e frequência), quesitos ideais para um trabalho bem elaborado. "Outra grande vantagem é a melhor absorção do impacto", acrescenta.

Na hora de optar pela esteira o praticante deve procurar desenvolver o movimento adequado, pois, conforme lembra o personal trainer, é a esteira que joga a pessoa para trás e não a pessoa que empurra o terreno. "A intensidade e variação da corrida também são fundamentais. De nada adianta realizar somente um trote leve na esteira. Trace um planejamento adequado para seus objetivos e níveis de condicionamento", ressalta.

Em relação ao gasto calórico, Ricardo defende que este pode igual, pois o que comanda a queima é a frequência cardíaca. Porém, se usarmos a mesma velocidade na corrida de rua e na esteira, a primeira modalidade passa a potencializar o gasto calórico, por conta das inclinações, resistência do vento e biomecânica do movimento.

E tanto na rua quanto na esteira o praticante está sujeito a lesões. Na maioria dos casos as dores estão relacionadas à falta de fortalecimento adequado, movimento de corrida e absorção do impacto incorreto e excesso de treinamento.

"Por isso, é importante lembrar que, mesmo quem somente quer realizar corrida precisa fazer um pouco de musculação, passar por um treino educativo de corrida e planejar bem a série de atividades", diz o personal. "Nunca deixe de lado a orientação de um médico e de um educador físico, pois apesar de ser fácil começar a correr, a longo prazo o risco de desenvolver problemas articulares é grande", finaliza.


Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: fitness treino corrida

Últimas