Equilíbrio energético e controle do peso corporal

Equilíbrio energético e controle do peso corporal

Você já deve ter ouvido falar de equilíbrio energético, onde a quantidade de calorias consumidas e as gastas interferem no seu peso corporal.

Vamos esclarecer alguns pontos sobre este assunto. Apesar de existirem diferenças individuais importantes relacionadas aos mecanismos de consumo e de demanda energética, o equilíbrio energético é o determinante principal quanto às modificações associadas à proporção relativa de gordura e de massa isenta de gordura.

Isso torna as dietas e a prática da atividade física mecanismos essenciais de controle do peso corporal. Desse modo, o tema equilíbrio energético adquire importância fundamental para os fatores nutrição, exercício físico e composição corporal.

Calorias consumidas - calorias gastas = Equilíbrio energético.

Equilíbrio energético é a relação entre o consumo energético, traduzido pelo equivalente calórico dos nutrientes que compõem a dieta e a demanda energética associada ao equivalente energético do trabalho biológico realizado.

Equação do Equilíbrio Energético

A primeira lei da termodinâmica, a chamada lei de conservação de energia, indica que a energia não se cria, nem se destrói, porém pode trocar de forma. No caso do organismo humano, a energia necessária para atender à demanda solicitada pelo trabalho biológico é sintetizada dos alimentos que são consumidos.

Portanto, o equilíbrio energético oferece indicações quanto ao estado nutricional com repercussões diretas na variação do peso corporal. A relação consumo-demanda energética apresenta três possíveis situações:

  • Equilíbrio energético positivo.
  • Equilíbrio energético negativo.
  • Equilíbrio isoenergético.
  • Quando o consumo exceder a demanda energética, ocorre o equilíbrio energético positivo. Exemplificando: o indivíduo apresenta, em média, consumo de alimento com equivalente energético de 2800 kcal/dia, acompanhado por demanda proveniente do trabalho biológico de apenas 2500 kcal/dia, o que equivale a equilíbrio positivo ou "superávit" de 300 kcal/dia. Essas 300 kcal extras não utilizadas pelo organismo são estocadas na forma de gordura, que resultam em proporcional aumento do peso corporal.

    Se a demanda energética ultrapassar o seu consumo, passa a existir "déficit" energético ou equilíbrio energético negativo. É o caso do indivíduo que consome em sua dieta alimentar por volta de 2500 kcal/dia, ao mesmo tempo em que utiliza 3000 kcal para atender às necessidades energéticas do trabalho biológico. O "déficit" de 500 kcal deverá ocasionar reduções equivalentes no peso corporal, na medida em que o organismo deverá recorrer aos estoques adicionais de nutrientes na tentativa de atender as necessidades energéticas.

    O equilíbrio isoenergético é condição na qual o consumo e a demanda energética são iguais.

    Consumo calorias = gasto de calorias = equilíbrio isoenergético

    Por exemplo, se o indivíduo consumir em sua dieta alimentar por volta de 2500 kcal/dia, e simultaneamente seu trabalho biológico solicitar demanda energética diária equivalente às mesmas 2500 kcal, a relação energética estará equilibrada. Logo, não deverá

    haver modificações no peso corporal.

    Como você vê, há muita coisa para aprender na teoria, o que torna importante o fato de ter o acompanhamento de uma nutricionista, de Professores de Educação Física e até de fisiologistas para ter uma maior compreensão destes fatos. De qualquer forma, o que você precisa na prática é ter esta equipe que possa te ajudar e ir à luta, mantendo uma dieta equilibrada feita por uma nutricionista e reavaliada constantemente, além dos exercícios regulares que vão de encontro as suas necessidades e objetivos, que também devem ser reavaliados a cada dois ou três meses.

    Fonte:

    "Controle do peso corporal"

    Dartagnan Pinto Guedes e Joana Elisabete R. P. Guedes - ED. Shape.

         

    Comente

    Últimas