Freqüência cardíaca: aprenda a medir a sua

Freqüência cardíaca aprenda a medir a sua

Todo indivíduo que deseja iniciar atividades esportivas deve fazer um teste de esforço chamado teste ergoespirométrico. É um teste capaz de fazer uma análise médica da condição cardiovascular - e também, uma avaliação física voltada para a determinação da capacidade aeróbia (dada pelo consumo de oxigênio máximo ou VO2 máximo) e dos limiares ventilatórios (faixas de batimentos cardíacos que servem de referência para a prescrição personalizada das intensidades ideais de treinamento).

A capacidade máxima de oxigenação é medida pelo VO2 máximo. Ela indica o nível de aptidão física para a realização de atividades que exijam resistência cardiovascular como, por exemplo, as corridas de fundo. Quanto maior o VO2 máximo, maior a resistência.

Esta relação mostra a condição física geral e de saúde das pessoas. Existem vários parâmetros para se conhecer qual é o nível de esforço ideal para o treinamento de cada pessoa, mas a freqüência cardíaca (FC) é o mais utilizado. É muito importante controlar a FC durante os exercícios para que estes sejam executados de maneira segura e eficiente, melhorando o nível de condicionamento do indivíduo.

A medição dos batimentos cardíacos pode ser feita manualmente ou através de pulsômetros ou freqüencímetros (relógios que possuem uma fita torácica com sensores e transmissores que indicam os batimentos cardíacos).

Com o controle das alterações dos batimentos cardíacos - feitos com os freqüencímetros - é possível a programação de uma infinidade de treinamentos, adequados aos objetivos e necessidades de cada um.

Quando não existiam estes medidores do ritmo cardíaco, era muito complicado verificar os batimentos e continuar em ação. Medir no auge do esforço era ainda mais difícil. Agora basta olhar o relógio.

Esta facilidade permite o controle da intensidade da atividade física durante toda a atividade, inclusive no meio de competições. A FC máxima está relacionada também a idade da pessoa. Com o passar dos anos, o número de batimentos cardíacos máximo vai diminuindo (cerca de 10 batimentos por minuto por década).

Existem muitas fórmulas e tabelas para calcular, de modo aproximado, a FC máxima para cada faixa de idade. A mais utilizada é: F.C. max. = 220 - idade. Por exemplo, um indivíduo de 20 anos tem a FC máxima de 200 batimentos por minuto (220 - 20 = 200 bpm).

Há uma faixa ideal de treinamento que pode estar entre 60% e 90% da FC máxima, dependendo do nível de condicionamento e dos objetivos a serem desenvolvidos. De acordo com a faixa prescrita, a pessoa deve aumentar o ritmo se a FC estiver abaixo da freqüência desejada ou diminuir a intensidade do exercício se os batimentos ultrapassarem os limites estipulados.

Portanto, é importante que um profissional prescreva a intensidade dos exercícios a serem realizados e a FC alvo adequada à aptidão, interesses e necessidades do praticante. Se você está iniciando, mantenha a FC entre 60% e 70% da FC máxima.

Quem não tem um freqüencímetro pode improvisar medindo a FC com as mãos. Basta colocar os dedos indicador e médio (da mão esquerda, por exemplo) na artéria radial (na região do pulso direito, abaixo do dedão) que é o mais utilizado. Ou colocar os dedos indicador e médio na artéria carótida na região do pescoço e contar as pulsações durante 10 segundos e multiplicar por 6 ou contar as pulsações durante 15 segundos e multiplicar por 4, para indicar os batimentos cardíacos em 1 minuto.

A freqüência cardíaca baixa rapidamente após o esforço, estabilizando-se depois de aproximadamente 3 minutos, tempo que pode variar de acordo com o grau de esforço e condicionamento.

Alguns fatores podem interferir na medição da FC:

  • Posição do corpo: deitado ou imerso na água a FC é mais baixa do que em pé.
  • Temperatura: quanto mais alta a temperatura, mais alta a FC.
  • Sexo: as mulheres tem a FC geralmente de 5 à 7 bpm mais elevados que os homens com o mesmo
  • condicionamento físico.
  • Estado de ânimo: quanto mais tensão tiver o indivíduo, mais alta será a sua FC.
  • Quem fuma ou ingere bebidas com cafeína tem a FC aumentada.
  • Comente

    Últimas