Kinesio taping: aposta dos atletas para tratamento de dores musculares

Bandagem trata dores por meio de estímulo mecânico

Kinesio taping aposta dos atletas para tratamento

As lesões e dores musculares são muito comuns entre os atletas, tanto profissionais como amadores, de diferentes modalidades esportivas. E para aliviá-las, muitos deles optam pelo uso de analgésicos.

Mas você já reparou que muitos esportistas têm usado algumas faixas coloridas coladas ao corpo? Elas são conhecidas no meio como kinesio taping, as bandas adesivas apresentam uma técnica baseada na capacidade de autorregeneração natural do corpo frente às lesões. A modalidade terapêutica foi desenvolvida pelo Dr. Kenzo Kase em 1973, no Japão.

"Sua eficácia se demonstra por meio da ativação do sistema neurológico e circulatório, cujo objetivo é proporcionar liberdade de movimentos de forma a permitir que o sistema muscular se autorregenere biomecanicamente", explica Maurício Garcia, coordenador do setor de fisioterapia do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte.

Garcia, que é também fisioterapeuta do Centro de Traumatologia do Esporte da Unifesp, descreve que o efeito analgésico da bandagem se dá por meio de estimulação tegumentar, ou seja, ele ativa o sistema do nosso corpo que engloba pele, pelos e unhas.

"Não há uso de nenhum produto anti-inflamatório ou químico, o kinesio age com base na hipótese de que os músculos e outros tecidos podem ser auxiliados por um estímulo da pele", diz.

Dessa forma, a bandagem permite a integração dos fatores do ambiente com o aparelho locomotor. O especialista explica que a tensão gerada por esta banda elástica e adesiva promove estímulos duradouros e constantes na pele, mantendo a comunicação com os tecidos mais profundos através dos mecanoreceptores da derme e epiderme. Assim, percebemos a diminuição da dor, sensação de conforto e suporte para contração muscular.

O kinesio tape pode ser usado em qualquer parte do corpo, de acordo com o objetivo. Maurício também elucida que essa bandagem não é igual aos adesivos tipo Salonpas, pois elas não possuem nenhum tipo de medicamento ou produto químico e o estímulo é mecânico. "Para sua aplicação a técnica é específica e há necessidade de passar por um curso de capacitação com instrutores treinados e preparados pela equipe internacional."

Além disso, o especialista ressalta que as bandagens terapêuticas correspondem a uma modalidade dentro de tantas outras técnicas na fisioterapia. Seu uso é indicado quando se quer agregar valor ao tratamento para alívio da dor durante a prática esportiva, por exemplo. Portanto, a recomendação é que se faça a bandagem com a ajuda de um profissional habilitado.

"Na prática acontece de o próprio atleta fazer a aplicação. E, mesmo com o crescimento na venda destas fitas, seu uso é muito negligente, pois dificilmente vai trazer algum malefício, mas também não teremos nenhum benefício da aplicação, colocando em vulnerabilidade esta técnica", diz ele.

Não há evidências científicas quanto aos efeitos destas bandagens, mas, segundo o fisioterapeuta, como é um estímulo tegumentar, não deixa de ser uma forma de ampliar a confiança dos atletas. "Faltam comprovações da técnica e estamos realizando alguns estudos que mostram mais claramente o grau da sua eficácia. Há um efeito terapêutico da aplicação das bandagens, porém, não se conhece o efeito, não é totalmente claro", finaliza Maurício Garcia.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente

Últimas