Mamãe, eu quero saúde...

Mamãe eu quero saúde

Ser mãe exige muito mais do que responsabilidades de educar, amar e dar atenção. Alguns cuidados são necessários desde o momento em que o teste assinala "positivo" e um deles é com a alimentação. Então, surgem opiniões de amigos e familiares que afirmam, por exemplo, que a gestante "deve comer por dois". É importante que a futura mãe saiba que, muitas destas afirmações são mitos, que podem prejudicar a saúde da mãe e do bebê.

Da mesma forma, é errado que ao engravidar a mulher decida perder peso, pois está insatisfeita com "os quilos a mais". Esta atitude pode levar a deficiências na formação do bebê e a graves conseqüências no crescimento dele. A mulher que deseja engravidar deve estar consciente de que é necessário um equilíbrio na alimentação durante a gestação e a amamentação. Não são os excessos nem as restrições de alimentos que irão garantir um bebê saudável.

Enquanto a mãe "espera o bebê", o corpo utiliza líquidos e energia vindos da alimentação para o crescimento do feto e para manter "artifícios" que protegem o bebê (placenta e líquido amniótico). Outra parte da energia obtida através da alimentação é "guardada" na forma de gordura e se localiza no abdômen, costas e coxas, para ser utilizada durante a gravidez e aleitamento.

Entretanto, se a gestante consumir calorias além do que necessita, a energia não será utilizada para o bem do bebê, mas sim, ficará armazenada no corpo como gordura localizada. Por esta razão, principalmente as gestantes que estão acima do peso, devem evitar consumir alimentos gordurosos como chocolates, doces cremosos e frituras, dando preferência a frutas e suco de frutas naturais, nos intervalos entre as refeições.

A alimentação da gestante não deve ser restritiva, isto significa que ela não deve deixar de consumir alimentos fontes de açúcar, bem como óleos e gorduras, porém, isto deve ser feito com moderação. Durante a gravidez, é muito importante que a mãe consuma alimentos variados, para assim, garantir o aporte de energia, vitaminas e minerais necessários para o desenvolvimento do feto. A orientação do pediatra é fundamental durante a gravidez, já que ele poderá avaliar o caso de cada gestante de modo particular.


Uma reclamação bastante comum entre mulheres grávidas é o problema do "intestino preso"'. Para combatê-lo, alimentos ricos em fibras (cereais, grãos e frutas) são grandes aliados, quando consumidos com líquidos (água, água de coco e sucos naturais). Além disso, algumas recomendações são válidas: a alimentação deve ser variada - com alimentos fontes de carboidratos (pães, cereais, batata, macarrão, biscoitos, frutas, entre outros), proteínas (carnes, leite e derivados e ovos) e gorduras (em pequena quantidade).

Comente

Últimas