Nadando todos os estilos - Parte II

Nadando todos os estilos  Parte II

Olimpíada 2000 Foto : Antônio Milena Abril Imagens

Concluindo a matéria da semana passada sobre a natação e os seus estilos, apresentamos a técnica dos estilos Borboleta e Peito, para que você possa conhecê-los e até praticá-los corretamente.

O nado Borboleta exige força e é sem dúvida o nado mais difícil para iniciantes. Já nos nados Crawl e Costas a coordenação entre braçada, respiração e pernada é mais fácil do que nos outros estilos, para grande parte das pessoas. Descubra qual você gosta mais!

Estilo Borboleta (golfinho):

É um dos nados de técnica mais simples. Porém sua execução é bem complicada, exigindo muita força, pois ambos os braços executam os movimentos ao mesmo tempo. Os dois braços, que não podem estar abertos, se dirigem para fora do alinhamento do corpo, com o polegar virado para baixo, enquanto a mão faz uma rotação deixando o dedo mínimo apontado para o fundo da piscina.

Na fase da puxada, deve-se manter os cotovelos voltados para cima empurrando a água em direção ao centro do corpo. As mãos passam na altura do peito. Para terminar a puxada, empurre a água em direção as coxas e pés.

A recuperação é feita quando os dois braços rompem a superfície da água pela mão e cotovelo. Os braços passam paralelos a superfície da água até a fase de entrada das mãos na água.

A ação das pernas é feita em dois momentos. Quando o braço estiver entrando na água executa-se uma pernada e a outra, mais forte, na hora da finalização da braçada. São duas batidas de pernas (de cima para baixo) em cada ciclo de braçada. A respiração é feita no momento em que as mãos estiverem aproximando-se das coxas, coincidindo com a segunda pernada.

Músculos trabalhados: Região dos braços: braquio radial, flexores do punho, bíceps braquial, tríceps braquial, Abdome, Região do peito: peitoral, Região das costas: grande dorsal, trapézio, rombóide, Região das pernas: bíceps femural, quadríceps e gastrocnêmios.

Estilo Peito (clássico):

A posição do corpo é semelhante ao Crawl. A braçada inicia-se com o braço estendido e a palma da mão voltada para as laterais da piscina. O polegar está voltado para baixo de modo que o você sinta a pressão da água na palma da mão. As mãos se movimentam para fora da linha do corpo e então, viram-se as mãos para baixo elevando os cotovelos. Você irá desenhar um semicírculo na água, passando as mãos por debaixo do seu corpo.

Na recuperação, o braço dirige-se para frente até o inicio do movimento.

Os pés, simultaneamente, procuram o quadril. Os joelhos permanecem mais fechados em relação dos calcanhares. Há uma rotação dos pés, apontando a laterais da piscina. Aí, então, você empurra a água para trás com os pés e a parte interna das pernas. Na fase final, as pernas estão alongadas e ambos os pés se aproximando um do outro.

Neste nado, a sincronia é feita com uma braçada, uma respiração e uma pernada.

A respiração ocorre no momento em que as mãos estão embaixo do corpo.

A braçada não deve ocorrer ao mesmo tempo que a pernada.

Realize uma braçada e no momento em que as mãos estiverem se dirigindo para frente, realize a pernada.


Músculos trabalhados: Região do peito: peitoral, Região das costas: grande dorsal, Região dos braços: bíceps braquial e tríceps braquial, Região dos ombros: trapézio, Região das pernas: bíceps femural, quadríceps e tibial anterior.

Comente

Últimas