Suplementação Alimentar

Suplementos Alimentares

Que tipo de alimentação o nosso organismo precisa? Com certeza os nutricionistas responderão: uma dieta balanceada. Esta resposta pode ser dada tanto para as pessoas que querem perder peso, quanto para as que desejam ganhar massa muscular ou mesmo para os que preferem apenas ter mais saúde.

Agora, quando praticamos uma atividade física, devemos prestar mais atenção no que estamos ingerindo, o que estamos gastando de energia e o que realmente nosso corpo precisa. Uma dieta equilibrada pode suprir as necessidades das pessoas que praticam esportes e freqüentam academia. Já um atleta de ponta ou mesmo uma pessoa que não consegue se alimentar da forma adequada poderá recorrer a algum tipo de suplemento, desde que orientada por um médico ou nutricionista.

A importância de tomar ou não suplementos, não pode ser generalizada. As necessidades calóricas de cada pessoa dependem basicamente do seu metabolismo, da forma que o corpo utiliza a energia que lhe é fornecida pelo alimento, da idade, do sexo, do peso, do biotipo e da genética.

Por isso, é essencial consultar um profissional na área de saúde e não seguir o que o seu amigo ou o instrutor da academia fala. O profissional de educação física não está apto para prescrever dietas ou suplementos. Isto pode ser muito arriscado. Além disso, cada tipo de produto é indicado para um objetivo diferente, por isso, os resultados desejados só serão alcançados se utilizados de forma correta.

Existem produtos, como barras de cereais, que não têm restrição, já outros mais complexos devem ser ingeridos seguindo a risca a prescrição médica ou nutricional. Veja abaixo, uma lista de produtos incluindo os mais utilizados entre os esportistas:

Bebidas de reposição: Repõem a água, carboidratos e sais minerais perdidos durante a atividade física. Indicadas também para casos de desidratação.

Barras energéticas: Combinam carboidratos, proteínas, vitaminas e sais minerais. As barras de carboidratos são recomendadas para gerar energia de forma rápida durante os exercícios longos. Já as barras de proteínas são muito consumidas nos dias de treino de musculação.

Carboidratos: Os carboidratos fornecem energia para o treinamento, ativam o processo de queima de gordura, garantem a absorção e o uso da proteína pelo músculo, recuperam o músculo, retardam a fadiga e melhoram a performance. Devem ser consumidos durante todo o dia e também antes e depois dos treinamentos.

Proteínas: Os músculos são formados pelas proteínas. Os atletas precisam de uma maior quantidade delas para criar massa muscular e repor o desgaste sofrido durante o treino. Também são usadas para evitar a perda de massa muscular e melhorar a imunidade depois de um esforço longo.

Ginseng: Aumenta a energia, diminui o estresse e eleva a performance física.

Antioxidantes: Dentro das nossas células se produzem reações de oxidação necessárias para gerar energia que também provocam a liberação dos radicais livres, que atacam e danificam as membranas celulares causando o envelhecimento celular. Os esportistas apresentam um aumento da oxidação e da liberação destes radicais por causa do desgaste provocado pelo treinamento. Para evitá-lo, é preciso a ajuda de algumas substâncias, presentes nos alimentos como: vitamina E, C e o beta-caroteno, minerais como o selênio, zinco, magnésio e cobre. Além de ácido lipóico, glutamina, a coenzima Q10 e os bioflavonóides. Todos eles capazes de se unirem aos radicais livres e impedirem os danos.

Fat-Burners: São produtos vendidos com a promessa de emagrecimento e que provocam perda de água e eletrólitos. Pelo potencial perigo a saúde (desidratação, taquicardia, arritmias e danos a tiróide, entre outros), esses produtos são proibidos pelo Ministério da Saúde.

Aminoácidos: São as moléculas que formam as proteínas e exercem um papel muito importante no metabolismo intermediário. Atuam como precursores da gliconeogênese (formação de glicose) e na síntese de hormônios e neurotransmissores. Com os exercícios os aminoácidos se oxidam e, por isso, há necessidades de reposição por meio da alimentação ou suplementos.

Veja abaixo alguns tipos de aminoácidos:

Creatina: utilizado de maneira correta, pode promover grandes benefícios à performance. A creatina é um composto de aminoácidos (arginina, glicina e metionina) que se forma no fígado, pâncreas e rins. Esta substância é utilizada pelo músculo durante o exercício anaeróbio e é encarregada de manter o nível de ATP, a fonte de energia mais comum em suas células. Ela mantém e aumenta a força muscular, melhora o rendimento nos exercícios de curta duração e acelera a recuperação de energia entre exercícios intensos repetidos.

Taurina: é muito abundante no tecido muscular e está em muitos processos reguladores, hormonais e metabólicos. Diminui o estresse e equilibra o sistema nervoso, facilitando o descanso. Auxilia na queima de gordura.

Carnitina: é um composto de dois aminoácidos (miotina e lisina). Os esportistas usam para perder gordura. Promove a diminuição de dores musculares.

BCAAs: L-isoleucina, L-leucina, L-valina. Prolongam a fadiga central e devem ser usados durante os esforços longos ou de resistência. Necessários nos períodos de estresse da atividade intensa.

Comente

Últimas