Teste Ergoespirométrico

teste ergoespirometrico

Toda pessoa que inicia qualquer atividade física deve se submeter a uma avaliação física. Esta avaliação serve para:

  • Avaliar o seu condicionamento físico antes e durante o programa de treinos;
  • Analisar o funcionamento do seu coração, da sua pressão arterial, limiares aeróbio, anaeróbio, volume de O2, entre outros fatores;
  • Auxiliar na montagem de um programa seguro a sua saúde e eficiente para alcançar os seus objetivos;
  • Avaliar a sua postura;
  • Avaliar as falências físicas como flexibilidade, resistência muscular localizada, potência, equilíbrio e força;
  • Verificar medidas antopométricas, porcentagem de gordura, de vísceras, ossos, músculos (através de dobras cutâneas ou da bioimpedância, com corrente elétrica);
  • Teste de anamnese, incluindo hábitos alimentares, doenças genéticas, estilo de vida, etc.

Todos estes testes devem fazer parte da avaliação, mas os testes ergométricos e ergoespirométrico não podem faltar.

Através do teste ergométrico, há uma avaliação do funcionamento do coração, com a ajuda de um eletrocardiograma, bem como problemas cardíacos, de pressão e o funcionamento do sistema cardio-vascular como um todo. Deve ser realizado por um cardiologista. Geralmente é feito numa esteira elétrica, podendo ser realizado também através de uma bicicleta ergométrica.

Com o teste ergoespirométrico, que deve ser realizado simultaneamente ao ergométrico, é possível avaliar o potencial aeróbio, a zona de treinamento aeróbio, o limiar ventilatório I e limiar ventilatório II, além do VO2 max. Desta forma o aluno testa os limites de um treino leve, moderado e forte ou intenso com segurança a sua saúde e com eficiência para conseguir progressos.

No teste ergoespirométrico é usada uma máscara com analisador de oxigênio e sensor que detecta as variáveis ventilatórias. Os testes devem ser realizados a cada 6 meses, em média.

Comente

Últimas