Acabe com o inchaço!

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Acabe com o inchaço

Flatulência e retenção de líquidos, certamente um desses sintomas já lhe causaram inchaço e fizeram você achar que todo o esforço para conquistar um corpo em forma foi em vão.

A barriga insiste em não diminuir, a celulite cisma em não te abandonar, isso sem contar o mal estar. Confira nesta matéria como evitar esses terríveis incômodos.

Retenção de líquidos

A retenção de líquidos é caracterizada pelo acúmulo excessivo e anormal de água entre as células do organismo. Quando esse líquido não é eliminado através da urina, causa inchaço principalmente na barriga, pés, mãos, coxas, tornozelos e mamas. Esse acúmulo de líquidos pode fazer com que a pessoa ganhe até 2kg durante um só dia.

Além do inchaço, a retenção de líquidos pode acarretar outros sintomas como: vista embaçada, dor de cabeça, pressão alta e dores no peito.

A sua ocorrência é mais comum entre as mulheres, principalmente nos períodos pré-menstrual e menstrual, devido a alterações metabólicas e hormonais que favorecem uma maior retenção de líquidos. Quando essa é a causa da retenção não há com o que se preocupar, pois o inchaço diminui assim que termina a menstruação.

Mas outros fatores, esses sim mais sérios, causam a retenção de líquido, são eles: insuficiência renal e cardíaca, hipertensão, problemas hormonais e circulatórios, e deficiência no funcionamento da tireóide. Nestes casos é fundamental o acompanhamento de um médico.

Descartados esses fatores, a retenção de líquidos normalmente está relacionada ao excesso de peso, falta de atividade física, má alimentação e dificuldade de retorno venoso.

Alguns comportamentos ajudam a diminuir a retenção de líquidos e combater o inchaço tão desagradável:

  • Diminua o consumo de sal e alimentos ricos em sódio, como os industrializados, embutidos, conservas, etc;
  • Pratique atividade física regularmente;
  • Beba em média 2 litros de água por dia;
  • Dependendo do caso, a drenagem linfática é recomendada.
  • Flatulência

    O acúmulo de gases produzidos no intestino, além da flatulência, muitas vezes causa grande desconforto, pois provocam distensão abdominal. Essa distensão que dá a sensação de inchaço e ganho de peso.

    Os maiores "responsáveis" pela produção e liberação dos gases são os carboidratos que não são quebrados durante a passagem pelo estômago. Como o intestino não produz as enzimas responsáveis pela sua digestão, eles são fermentados por bactérias que ali residem, produzindo gases.

    Outros fatores podem estar também relacionados, como a prisão de ventre, por exemplo. A obstipação (intestino preso) faz com que a comida demore mais tempo para passar pela parte inferior do aparelho digestivo, provocando maior fermentação dos alimentos e consequentemente, maior formação de gases.

    Pessoas com intolerância à lactose, colite e dispepsia também são mais propensas a apresentarem flatulência.

    Mas a maior parte dos casos de flatulência é mesmo proveniente da alimentação. Alguns alimentos e atitudes colaboram para uma maior produção de gases intestinais.

  • Ervilha, feijão, e leguminosas em geral têm grande quantidade de carboidrato não absorvível e tendem a fermentar no intestino. Mas isso não significa que você deve excluí-los da sua dieta;
  • Outros alimentos também são conhecidos por aumentarem a produção de gases, são eles: repolho, batata doce, cebola, couve, ovo, brócolis, entre outros.
  • Comer depressa faz com que você não mastigue direito os alimentos, atrapalhando assim a digestão e fazendo com que o bolo fecal chegue ao intestino sem estar adequadamente digerido;
  • Uma dieta pobre em fibras e com baixo consumo de água dificulta o trânsito intestinal, causando prisão de ventre.
  • De maneira geral, a prática de atividade física regular, a adoção de hábitos alimentares saudáveis e o consumo médio de 2 litros de água por dia, além de contribuir com a boa forma, são aliados para combater a retenção de líquidos e a formação de gases intestinais.

    • Facebook
    • Pinterest
    • Twitter
    • Google+

    Comente

    Últimas