Aditivo Alimentar: uma mãozinha para o alimento

Aditivo Alimentar uma mãozinha para o alimento

Com o desenvolvimento tecnológico da indústria dos alimentos, algumas substâncias, como vitaminas e sais minerais, passaram a ser adicionadas aos produtos para melhorar o seu valor nutritivo. Além disso, surgiu a necessidade de adicionar outras substâncias com o objetivo de conservar ou melhorar o aspecto, cheiro e sabor dos alimentos.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) define aditivo alimentar como sendo "qualquer ingrediente adicionado intencionalmente aos alimentos, sem o propósito de nutrir, com o objetivo de modificar as características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais, durante a fabricação, processamento, preparação, tratamento, embalagem, acondicionamento, armazenagem, transporte ou manipulação de um alimento".

Assim, de acordo com essa definição, aquelas substâncias incluídas nos alimentos visando o melhoramento do seu valor nutricional não podem ser chamadas de aditivos alimentares.

Muitas pessoas, que vêm com desconfiança os aditivos de alimentos, talvez não saibam que, antes de serem liberados para o uso, é exigida uma análise dos possíveis efeitos tóxicos dessas substâncias para o organismo e que o seu emprego somente é autorizado em concentrações que não ultrapassem o valor de ingestão diária aceitável, que é recomendado.

A ANVISA descreve 23 tipos de aditivos alimentares e suas funções, alguns deles são apresentados abaixo:

1. Antiumectante: substância responsável por diminuir a retenção, a absorção de água e a tendência de adesão das partículas de alimentos.

2. Umectante: substância que protege os alimentos da perda de umidade ou que facilita a dissolução de uma substância seca.

3. Antioxidante: substância que retarda o aparecimento de alterações oxidativas nos alimentos que causam deterioração de sabor e cheiro tornando-o impróprio para o consumo.

4. Conservador: substância que retarda ou impede a alteração dos alimentos.

5. Edulcorantes: substâncias que confere sabor adocicado aos alimentos sem que sejam açúcares.

6. Espessantes: substância que aumenta a viscosidade de um alimento.

7. Estabilizante: substância que torna possível uma dispersão umiforme de substâncias de não se misturam em um alimento.

8. Aromatizantes: substâncias que dão ou reforçam o aroma e/ou sabor dos alimentos.

9. Acidulante: substância que aumenta a acidez ou confere um sabor ácido aos alimentos.

10. Estabilizante de cor: substância que estabiliza, mantém ou intensifica a cor de um alimento.

Apesar dos aditivos serem necessários para melhorar as características ou tempo de prateleira de uma alimento, essas substâncias podem causar alergias em pessoas propensas. Por isso, se ao ingerir alimentos industrializados e aparecer alguns sintomas como coceira e rubor, procure um especialista que fará alguns testes para encontrar a substância causadora da alergia.

Para maiores informações visite o site da ANVISA.

Comente

Últimas