Alerta sobre a magreza em excesso

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Alerta sobre a magreza em excesso

Além de Raquel Zimmermann ressaltar a importância de um corpo saudável, o que não significa ser magra em excesso, durante entrevista coletiva antes de desfilar para a marca Animale, o próprio diretor da São Paulo Fashion Week, Paulo Borges, também destacou que a organização do evento se preocupou com a questão das modelos abaixo do peso e deverá encaminhar um comunicado alertando sobre o assunto às maiores semanas de moda do mundo.

A carta foi elaborada logo após o Fashion Rio. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, Borges disse que notou as modelos mais magras. Para ele são os grandes editores e fotógrafos que determinam os padrões de beleza representados pelas modelos. Portanto, o alerta será encaminhado principalmente a eles, para que os padrões estéticos sejam modificados.

Conforme Marco Antonio Tommaso, psicólogo especializado em transtornos alimentares, essa deve ser uma das várias atitudes a serem feitas em todo mundo para que se evite a busca descontrolada pela magreza, muitas vezes ditada pelo mundo da moda. Uma delas é a criação de campanhas educativas para se evitar males como bulimia, por exemplo, que incentivem o emagrecimento saudável, com responsabilidade.

"Isso é necessário, pois, muitas mulheres se espelham em modelos nacionais e internacionais e buscam o emagrecimento de forma descontrolada e passam dos limites. Depois os resultados são os transtornos alimentares, bulimia, anorexia e muitas vezes o resultado é a morte", ressalta o psicólogo.

A busca pelo corpo perfeito e magro já estave bastante presente logo nos anos 60, a partir das medidas impostas pelo cinema. Hoje em dia, a grande preocupação é que o padrão atual da passarela é transmitido aos jovens, que, muito vulneráveis, passam a acreditar que ser super magro é sinônimo de ser belo, conceito que permanece ao longo da vida.

"Mulheres precisam aceitar-se fisicamente e valorizar o que tem de melhor sem cometer grandes absurdos: adotar medidas de emagrecimento irresponsáveis que não elevam sua autoestima, mas que acarretam diversos tipos de doenças. A autoestima interfere como cada um age no trabalho e nas relações emocionais, na saúde e em outros aspectos", finaliza o psicólogo.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas