Alimentação do bebê: dicas para preparar a papinha perfeita

Aprenda aqui como introduzir novos alimentos na dieta do bebê – Saiba tudo sobre papinhas!
Papinha infantil

©iStock.com/© diego_cervo

Depois de um tempinho mamando no peito, enfim chega a hora de introduzir uma novidade na alimentação dos bebês. E as papinhas são as mais indicadas para deixar seu bebê forte e muito bem nutrido. Mas como fazer essa introdução alimentar?

Para responder esta e outras perguntas frequentes das mamães, o MaisEquilíbrio buscou respostas com a equipe da empresa Chefe de Papinha. 

Nathália Guedes, nutricionista doutora em Ciências pela UNIFESP e Nathalia Donato, chefe de cozinha, sócia e idealizadora da empresa, contaram para gente tudo o que você precisa saber neste momento crucial na vida do bebê.

Confira a entrevista e tire suas dúvidas:

1- Como deve ser feita a introdução alimentar dos bebês? 

A idade ideal para introdução tanto de frutas e papinha principal é a partir dos 6 meses de idade, mesmo que a criança não esteja em aleitamemto materno exclusivo.

Se o bebê não tem nenhum histórico de alergia alimentar os alimentos que compõem as papinhas principais como frutas, legumes, verduras, cereais (arroz, macarrão), leguminosas, tubérculos e proteínas estão liberados. 

As frutas devem ser variadas, cada dia uma para criança aprender a reconhecer os sabores. E lembrando que quanto mais variada melhor,  pela oferta diversificada de vitaminas, minerais e fibras alimentares.

Outros itens como biscoitos, doces, mel, bolos, derivados de leite de vaca, continuam proibidos.

2- Qual a diferença entre a papinha caseira e a industrializada?

A papinha industrializada pode conter alguns corantes e conservantes para mantê-la por algum tempo na prateleira.  Lembrando que o sal é um conservante e a maioria das papinhas comercializadas contém sal, no qual não é indicado antes do primeiro ano de vida.

As indústrias ainda colocam um ou mais tipo de engrossante em sua composição o que pode influenciar a uma obesidade futura pelo consumo excessivo.

A papinha caseira com certeza é mais indicada, se for confeccionada da maneira correta, seguindo também as normas de higiene e manipulação para evitar  problemas de infecção ou intoxicação alimentar na criança.

3- Quais os benefícios da papinha caseira para a saúde do bebê?

Em primeiro lugar é muito mais prazeroso e gostoso comer uma comida caseira com produtos que você conhece e sabe o que está usando naquela preparação.  

As industrializadas sempre passam por processos de congelamento, resfriamento, que pode ter perdas de nutrientes, fibras, vitaminas e minerais e por mais que a indústria alimentícia tenha recursos avançados e aparelhos inovadores, nada melhor do que uma comidinha fresquinha e caseira.

4- Quais grupos alimentares devem estar presentes na "papinha saudável"? 

Todos os grupos alimentares devem estar presentes desde a primeira papinha: tubérculos (batata, mandioca), legumes (cenoura, abobrinha), cereais (macarrão,  arroz), legiminosas (feijão,  lentilha), verduras (brócolis,  espinafre).

Proteína (ovo, frango, carne, peixe). Lembrando que aqui citei somente alguns exemplos, a papinha deve conter pelo menos 1 ingrediente de cada grupo alimentar, prezando sempre a harmonia do prato e o colorido.

5- Quais os nutrientes necessários na papinha para que o bebê não tenha nenhuma carência nutricional?

Todos os citados acima. Lembrando que as frutas também deve fazer parte do cardápio.  A criança que ainda recebe aleitamento materno ou fórmula infantil também pode e deve ser oferecido para completar a alimentação do bebê.

6- Qual consistência deve ter a papinha?

A papinha de ve ser amassada no garfo e oferecida aos poucos para o bebê. Nada de peneira ou liquidificador!

7- Como preparar a papinha perfeita?

Não existe uma receita. A mãe vai precisar de uma panela normal, temperos frescos e um de cada grupo alimentar. A dica é sempre deixar as leguminosas de molho para retirar o gás metano (responsável pela flatulência e cólicas no bebê).

A mãe pode cozinhar tudo junto numa mesma panela e colocar água e ir acompanhando o cozimento ou pode cozinhar os alimentos no vapor.

Dica: Não use sal. No final da preparação coloque um fio de azeite que é uma gordura excelente principalmente nessa fase da vida.

Por Thamirys Teixeira


Comente

Aproveite o Dia dos Namorados para cozinhar receita deliciosas com o seu/sua crush!

Receitas para o dia dos namorados

Últimas

Copyright © 2019 e-Mídia