Cogumelos comestíveis: fungos do bem

Um dos alimentos queridinhos do momento, no passado eram considerados presentes dos deuses

Cogumelos comestíveis os fungos do bem

Foto: the food passionates/Corbis

Hoje em dia é quando vamos aos supermercados, nos deparamos com uma grande variedade de cogumelos. Mas qual a importância deles na alimentação, e quais benefícios esses alimentos diferentes nos trazem?

Os cogumelos pertencem à classe dos fungos na natureza, aqueles mesmo que detestamos ouvir falar, e no Egito Antigo eram considerados presentes dos deuses. Porém, por apresentar variadas formas e cores, é fácil confundir os comestíveis com os tóxicos.

Portanto, não se aventure em coletá-los da natureza por aí e levá-los ao fogão. Compre sempre nos supermercados ou feiras, que é bem mais seguro.

De acordo com um estudo publicado nos Estados Unidos, os cogumelos (comestíveis) ajudam no emagrecimento, porém, precisam estar presentes no cardápio diário, na quantidade de 100g. Ricos em fibras, proporcionam maior sensação de saciedade, auxiliam na digestão, no trânsito intestinal, reduzindo os riscos de câncer de cólon.

Além disso, apresentam baixo de teor de gordura (em 100g não é possível encontrar nem 1g de gordura) e baixo valor calórico; têm grande concentração de proteína (a mesma medida possui 35% desse nutriente, semelhante a um bife), vitaminas do complexo B, C, assim como os minerais potássio, iodo, cálcio e fósforo.

Durante o cultivo esses alimentos são expostos ao sol, e com isso produzem vitamina D, famosa protetora dos ossos juntamente com o cálcio, e grande aliada do sistema imunológico.

Essa propriedade pode se potencializar se você colocar os cogumelos recém-chegados do mercado no sol, sem nada que os cubra. Porém não se engane: o conhecido "cogumelo do sol", comercializado em cápsulas, tem as mesmas propriedades que os demais, não podendo ganhar o papel principal em um tratamento médico.

Como são alimentos altamente nutritivos, o ideal é que os cogumelos acompanhem preparações nutritivas também, como saladas, sopas, molhos leves de massa e até mesmo substituir os frios nos sanduíches, devido ao alto valor proteico.

No mercado, podem ser encontrados em conservas, frescos ou secos. Na hora de comprar, especialmente os frescos, deve-se verificar se esses não estão viscosos e com cheiro forte, pois isso pode indicar o desenvolvimento de outros fungos e bactérias prejudiciais à saúde.

Para armazenar, coloque na geladeira, pois sua validade aumenta para até 10 dias, e uma dica: faça furos na embalagem, para que fique aerada. Na hora de preparar, basta passá-los rapidamente pela água corrente e secar bem, pois se lavar ou deixá-los de molho, pode comprometer a textura.

Sendo assim, basta ter criatividade para poder aproveitar essas delícias, de textura macia e sabor peculiar. Conheça os principais tipos e apaixone-se!

Paris - é o cogumelo mais cultivado e consumido também, ou seja, o popular champignon. Tem o chapéu bem arredondado e "carnudo", e sua textura macia possibilita diversas aplicações na cozinha, como conservas, molhos, pizzas, lanches, saladas, etc.

Shitake - é o segundo mais consumido no mundo, e ideal para quem precisa controlar a pressão e reduzir os níveis de colesterol. Além disso, fortalece o sistema imunológico, inibindo o desenvolvimento de tumores, vírus e bactérias e é um poderoso afrodisíaco! Também tem o chapéu carnudo, de cor marrom, e acompanha muito bem molhos, risotos, massas, bruschettas.

Shimeji - apesar da sua aparência esquisita, é o mais gostoso dentre os cogumelos, e estudos recentes o apontam como aliado no combate ao câncer e colesterol. Pode ser encontrado nos tipos claro e escuro e geralmente são consumidos em molhos, risotos, massas ou simplesmente refogados.

Portobello - é a versão madura do cogumelo Paris, tem aroma mais intenso, textura mais rígida, e por isso pode ser recheado e servido como entrada, além de ser usado também em sopas, carnes e saladas.

Porcini - é um cogumelo com a base mais grossa, semelhante a um tronco, e no Brasil, costuma ser encontrado desidratado e seco, conhecido como Funghi Secchi. Durante esse processo, seu aroma e sabor se tornam mais acentuados, porém, há perda de açúcares e minerais. Combina muito bem com molhos, risotos e sopas.

Trufas - as trufas preta e branca são as mais apreciadas; mas além das propriedades nutricionais, são conhecidas pelo sabor inigualável e também pelo seu custo extremamente elevado, e por isso são usadas em raras ocasiões e pequenas quantidades.

Veja abaixo o valor calórico desses cogumelos, por 100g do alimento:

Cogumelos comestíveis fungos do bem

Por Gabriela A. Malheiros (CRN-3 23.806)


Comente

Últimas