Com gostinho de Copa!

Com gostinho de Copa

Para uma minoria de sortudos, os jogos da copa não serão de madrugada, isso por que eles assistirão, ao vivo, na terra do sol nascente. A nós, resta apenas vencer o sono e saborear algumas comidas japonesas para entrar de corpo e alma no clima.

Famosa por seus pratos decorados, que enchem nossos olhos de prazer, a culinária japonesa conquista gradualmente até mesmo os mais resistentes. Com uma variedade de nomes de difícil pronúncia, ganha, a cada dia, mais espaço no roteiro gastronômico brasileiro. Os ingredientes mais freqüentes são os peixes frescos (crus), legumes, algas, raízes, produtos à base de soja, entre outros.

Os pratos desta culinária são mais leves e saudáveis, pois pouco óleo é empregado em seu preparo. Além disso, as algas, usadas nos sushis, temakis e udons têm grande importância nutricional, pois concentram os minerais presentes no mar, sendo, dessa forma, ricas em ferro, cálcio, magnésio, vitaminas A, B1, B2 e C.

Já os peixes crus fornecem todos os nutrientes comuns aos peixes (proteínas, vitaminas A e D, cálcio e ferro) e seu valor calórico varia de acordo com a espécie. Fornecem ainda ômega 3 e ômega 6, ácidos graxos essenciais que ajudam a regular os níveis sanguíneos de colesterol. O cuidado que devemos tomar com os peixes, diz respeito à compra e ao armazenamento, uma vez que eles estão bastante sujeitos à contaminação microbiológica. Para evitar que isso ocorra, eles devem permanecer em local refrigerado, livre de contato com o ar, além de serem adquiridos em um fornecedor de confiança, que garanta a higiene e o controle de temperatura, desde a pesca, até o momento da compra.

Originalmente consumido quente, por causa dos aromas liberados pelo aquecimento, o saquê também é servido gelado em alguns países de clima tropical, embora este hábito não seja aprovado pelos mais tradicionais. Aos fãs de saquê, vale também um alerta: essa bebida fermentada feita à base de arroz possui um alto teor alcoólico. Ele tem 38% de álcool, bem mais que o vinho (11 a 14%) e cerveja (5%), equiparando-se ao uísque (43%) e tequila (40%). Isso significa que ele é capaz de embriagar rapidamente. Uma dose de 30ml possui cerca de 41 Kcal.

Indispensável à mesa japonesa, o molho Shoyu é largamente difundido no Brasil. Hoje podemos encontrar nos supermercados até mesmo a versão light. Ele é produto da fermentação do Koji ou missô (produtos à base de soja) e, por isso, possui todos os nutrientes comuns a derivados de soja.

Quanto ao valor nutritivo do shoyu, ele contribui com aminoácidos essenciais para a alimentação, pois é obtido pelo processo de fermentação da soja. A sua maior importância, entretanto, reside em seu uso para dar sabor. O valor calórico é de 50Kcal por 100g de produto, e por não ser isento de calorias, deve ser utilizado com moderação. Para aqueles que têm as calorias contadas na ponta do lápis, existe a versão light, com 58% a menos de calorias. Portanto, cada 100g de shoyu light fornecem 26Kcal.

O wassabi já adormeceu a boca de muitos desavisados, que, sem conhecer, colocaram essa pasta verdinha inteira na boca. Histórias como esta todo mundo conhece. O que poucos sabem, é que ele possui um sabor picante e refrescante, mas a sua função principal é a de bactericida. Outro tempero apreciado por brasileiros é o gari (conserva de gengibre), que deve ser comido entre um sushi e outro para refrescar o paladar, permitindo uma melhor apreciação dos pratos.

Agora que você já está por dentro da culinária nipônica e seus benefícios à saúde, coma sushi e beba saquê - com moderação - e torça muito para a nossa seleção. Sem esquecer, é claro, de vestir a camisa verde e amarela. Banzai!

Missô Shiru

Combinado de sushi

Sushi ImperialTekkamaki / Kappamaki

Para montar um prato combinado, escolha uma porção de sushi imperial e outra de kapamaki e tekamaki, decorando o prato com legumes crus. Você pode utilizar shoyu e raiz forte para acompanhar.

Sashimi de Kiwi

Comente

Últimas