Confusão Alimentar

Confusão Alimentar

Todo dia não tem quem não se questione sobre as recomendações alimentares ou os métodos mais adequados de emagrecimento. E a voz dos nutricionistas, nutrólogos ou entendidos mais prudentes é: uma alimentação variada que atenda as necessidades nutricionais. Dieta das Proteínas era vista com cautela.

Para qualquer nova dieta, a ordem era esperar por estudos científicos provando a eficácia e o não prejuízo para o organismo. Pois bem, e agora que alguns estudos já foram desenvolvidos e mostram que os resultados não prejudicam a saúde? O ponto de interrogação parece surgir não só nessa questão, mas na cabeça de todos.

Uma alimentação saudável - isso vale para quem quer ganhar, eliminar ou manter o peso - significa obter, através dos alimentos, todos os nutrientes que o organismo necessita para manter as suas funções básicas, sem fazer com que ele utilize outros mecanismo para continuar a realizar as reações ou fornecer energia.

Muitas palavras, mas nada prático, não é mesmo? Vamos lá. A recomendação "normal" (se é que ainda podemos utilizar esse termo) de nutrientes é: 50 - 60% do valor calórico total da alimentação (VCT) em carboidratos, 15-20% do VCT em proteínas e 25-30% do VCT em gorduras. Assim, uma alimentação contendo 2000 Kcal deve fornecer entre 1000 e 1200 Kcal em carboidratos, 300 a 400 Kcal de proteínas e 500 a 600 Kcal em gorduras.

Aí é que começam os questionamentos, principalmente entre os adeptos da dieta do Dr. Atkins, a da proteína. O que acontece com o corpo se restringirmos ao máximo o carboidrato e aumentarmos o consumo de proteínas e, conseqüentemente, de gordura, principalmente a animal, rica em colesterol e gordura saturada?

Argumentos é que não faltam contra a tal dieta. Além de ser rica no já citado colesterol e gordura saturada - inimigos do coração - ela força o organismo a produzir energia a partir de outros nutrientes, como a gordura. Resultado? A cetoacidose que pode ser percebida por um desagradável mau hálito. Além disso, essa dieta foge dos padrões alimentares, principalmente dos brasileiros onde as principais refeições são ricas em alimentos fonte de carboidratos como pães, arroz, frutas, batata, mandioca, massa.

Não faltava argumento, mas vieram os estudos. E mostraram que ela não apresenta risco para o coração, se analisarmos o colesterol. O nível de colesterol bom (HDL) aumentou nas pessoas que seguiram a tão condenada dieta. Com certeza, muitos profissionais franziram a testa e muitos leigos podem ter soltado uma discreta risada.

No meio dessa confusão alimentar, o que é certo ou errado?

Apesar das pesquisas publicadas terem apontado pontos antes condenados, principalmente em relação ao nível de colesterol, é necessário esperar o posicionamento de órgãos de saúde que dão sinal verde para a recomendação.

Cautela é sempre a principal atitude. É importante lembrar que o efeito ioiô é tão prejudicial quanto o excesso de peso. Será que a dieta das proteínas traz uma eliminação de peso efetiva? Pode ser seguida por um período longo?

Para os viciados em dietas, só um adendo. Os autores da Dieta da Idade Verdadeira afirmam que os seguidores da alimentação pregada pelo Dr. Atkins podem ter a idade aumentada entre 3,8 a 5,7 anos em razão da ausência de variedade alimentar, o que causa deficiência de determinados nutrientes. E agora?    

Comente

Últimas