"Cortar" alimentos para emagrecer é uma solução saudável?

Cortar alimentos para emagrecer é uma solução saud

O hábito de cortar alguns alimentos para emagrecer pode fazer muito mal à saúde. O que não é de conhecimento geral é que cada alimento possui uma quantidade diferente de nutrientes específicos que atuam em determinadas funções do organismo.

A restrição de alguns alimentos pode diminuir a quantidade de nutrientes essenciais disponíveis, dificultando, assim, as funções que esses nutrientes desempenham. Emagrecer com uma alimentação restrita pode fazer mal à saúde, pois o corpo necessita de muitos nutrientes para cumprir funções. Entre as funções dos nutrientes estão:

  • Formação e constituição de ossos e dentes;
  • Auxílio na produção de hormônios;
  • Auxílio na formação de hemácias e anticorpos;
  • Estimulação do sistema imunológico;
  • Fornecimento de energia;
  • Controle de enzimas;
  • Normalização do ritmo cardíaco;
  • Auxílio na produção de impulsos nervosos, entre outros.
  • Antes de eliminar certos alimentos do seu cardápio diário saiba no que eles ajudam o seu organismo! Dessa forma, sabe-se que alguns alimentos são excluídos da alimentação sem conhecimento das suas características e funções, o que causa problemas à saúde. Veja os grupos de alimentos mais excluídos da alimentação, suas funções e conseqüências para a saúde:

    Pão, Massas, Arroz e Batata

    Os alimentos ricos em carboidratos atuam com principal fonte de energia, além de serem indispensáveis para a integridade do sistema nervoso, entre as várias funções que ele desempenha. A exclusão desses alimentos e outros ricos em carboidratos como é a conhecida dieta das proteínas, possui entre outros inconvenientes, halitose, prisão de ventre, saciedade precoce, níveis sangüíneos de triglicérides e colesterol elevados, fraqueza e cansaço, porque o carboidrato é a fonte de energia mais facilmente utilizada pelo organismo.

    Por isso, esses alimentos não devem ser abolidos da alimentação e sim diminuídos, já que eles também fazem parte de uma alimentação saudável. Os carboidratos complexos que são os pães, massas, arroz e cereais integrais devem ser consumidos com moderação e os carboidratos simples, onde o açúcar é o principal representante devem ser evitados.

    Açúcar

    O açúcar é um tipo de carboidrato simples que está presente em vários alimentos que fornecem muitas calorias, como os doces. O açúcar refinado, além de ser muito calórico, não possui nutrientes. Ele provoca cáries, ganho de peso, obesidade e sua exclusão é bem aceitável. Obs. O açúcar mascavo, que não passa pelo processo de refinamento, mantendo os nutrientes, mas possui o mesmo valor calórico.

    Óleos vegetais, azeite, manteiga

    As gorduras não são tão vilãs quanto parecem. Elas fornecem mais calorias (9 kcal por grama de gordura) do que carboidratos e proteínas (4 kcal por grama), porém são indispensáveis ao organismo por serem veículos de vitaminas e porque nosso corpo não produz alguns ácidos graxos essenciais que estão presentes nessas gorduras (ômega 3 e ômega 6).

    As gorduras saturadas presentes principalmente em alimentos de origem animal, como leite integral, carnes gordas, manteiga e banha, devem ser evitadas ao máximo. Ao contrário das gorduras boas para a saúde, que são as do tipo insaturadas, presentes em alimentos de origem vegetal (com exceção do óleo de coco) como óleos vegetais sem cocção, como óleo de canola, de milho, de soja, azeite, além de frutas como abacate, nozes e castanhas que devem ser consumidas dentro de uma alimentação equilibrada com uma quantidade de calorias que resulte em emagrecimento.    

    Comente

    Assuntos relacionados: alimentação saúde emagrecer dieta

    Últimas