Gorduras - As vilãs da obesidade

Gorduras  As vilãs da obesidade

As gorduras fazem parte de um grupo amplo de nutrientes chamado lipídeos que têm em comum a propriedade de serem insolúveis em água. Como os lipídeos estão presentes em alimentos geralmente mais calóricos, eles devem aparecer em menor quantidade na alimentação, especialmente na dos que buscam o emagrecimento.

O consumo excessivo desses nutrientes é um dos fatores que contribuem para o desenvolvimento de várias doenças crônicas, inclusive a obesidade. No entanto, é bom ressaltar que, se os lipídeos forem consumidos na quantidade certa, não trazem prejuízos e ainda auxiliam no bom funcionamento do organismo, desempenhando funções como:

  • Fornecer energia;
  • Ser precursores de hormônios;
  • Auxiliar na absorção e no transporte das vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K);
  • Melhorar a textura e sabor dos alimentos;
  • Manter a temperatura corporal, reduzindo a perda de calor.
  • Em relação à quantidade calórica, 1 grama de lipídeo possui 9 Kcal, ou seja, mais que o dobro do que a mesma quantidade de proteína ou carboidrato (4 Kcal). Dessa forma, ao contrário do que muitos pensam, não são os alimentos fonte de carboidratos (arroz, batata, mandioca, farinha, pão, macarrão) que devem aparecer em menor quantidade na alimentação e sim, os fonte de lipídeos (frituras, maionese, manteiga, margarina).

    Um outro fator importante em relação aos lipídeos, é que eles são facilmente armazenados e dificilmente consumidos. Isso significa que, quando ingeridos, os lipídeos são absorvidos e, se não houver gasto energético, são armazenados no tecido adiposo contribuindo para a formação dos famosos "pneuzinhos" nas regiões da cintura e do quadril. Para complicar a situação, durante a atividade física, os lipídeos são os últimos a serem utilizados como fonte energética. Além disso, a capacidade do organismo de armazenar esses nutrientes é aparentemente ilimitada.

    Então, para você fazer a escolha certa e conseguir bons resultados na perda de peso, clique nos links abaixo e saiba mais informações sobre os principais tipos de lipídeos encontrados nos alimentos.

  • Colesterol
  • Pode ser obtido por duas fontes: interna, mediante a produção do fígado, a partir de ácidos graxos saturados ou externa, através de alimentos que o contenham. É encontrado apenas em produtos de origem animal, como em: gema de ovo, leite integral, queijos gordurosos, manteiga, creme de leite, chantilly, vísceras (fígado, miolo), gorduras de carnes e pele de aves.

    Quanto à atuação no organismo, o colesterol é precursor de componentes dos sais biliares, que auxiliam na digestão dos lipídeos, e também serve de matéria prima para a produção de hormônios (estrógeno, progesterona). Portanto, deve estar presente na alimentação, só que na quantidade certa, para não aumentar na circulação e trazer prejuízos à saúde.

  • Triglicérides ou Triglicerídeos
  • A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo, é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.

  • Ácidos Graxos Saturados e Insaturados
  • São compostos formados por cadeias de átomos de carbono ligados a hidrogênio, presentes em gorduras e óleos. Podem ser classificados de acordo com o tamanho (curta, média, longa) ou com o tipo de ligação da cadeia hidrocarbonada (saturados, mono e poliinsaturados).

    Ácidos Graxos Saturados

    São normalmente encontrados na forma sólida (gordura) e em produtos de origem animal como leite integral, manteiga, creme de leite, chantilly, queijos gordurosos (provolone, parmesão, mussarela), banha, bacon, sebo, toucinho, gordura das carnes, pele das aves e dos peixes. A exceção é feita para a gordura do coco, que é rica em ácidos graxos saturados, apesar de ser um alimento de origem vegetal.

    O consumo de alimentos contendo ácidos graxos saturados, além da quantidade desejada, é prejudicial, pois contribui para o aumento das taxas de colesterol no sangue.

    Ácidos graxos insaturados

    São normalmente encontrados na forma líquida (óleo) e em produtos de origem vegetal, exceto para os óleos de peixe, que também são ricos em ácidos graxos insaturados, apesar de serem produtos de origem animal. Contêm uma ou mais ligações duplas na cadeia. Quando os hidrogênios se encontram no mesmo lado do plano, são chamados de cis, se estão em lados opostos, de trans. Os ácidos graxos trans estão presentes em produtos industrializados, como na margarina e na gordura vegetal hidrogenada. Em excesso, os ácidos graxos trans são tão ou mais prejudiciais que os ácidos graxos saturados, no que diz respeito à elevação dos níveis de colesterol sangüíneos.

    Quando o ácido graxo possui uma única dupla ligação, é conhecido como monoinsaturado, se contém duas ou mais ligações duplas, é denominado poliinsaturado. Os monoinsaturados estão presentes em maior quantidade no azeite de oliva e nos óleos de canola e de amendoim. Já os poliinsaturados são encontrados em óleos vegetais (girassol, milho, soja, algodão), óleos de peixe e em oleaginosas (castanha, amêndoa).

    O consumo moderado de alimentos fontes de ácidos graxos insaturados está relacionado com a diminuição dos níveis de colesterol circulantes e conseqüentemente ao menor risco para o aparecimento de doenças cardiovasculares.

    Ácidos graxos essenciais

    São poliinsaturados não sintetizados pelas células do organismo, portanto, devem ser adquiridos através da alimentação. Existem dois ácidos graxos essenciais, são eles: ômega-3 (ácido linolênico) e ômega-6 (ácido linoléico). O ácido graxo ômega-3 é encontrado principalmente nos peixes e óleos de peixe. Por outro lado, as melhores fontes alimentares de ácido graxo ômega-6 são os óleos vegetais (girassol, milho, soja, algodão).    

    Comente

    Últimas