Herança genética favorece colesterol alto em magros

Ser magro e esportista nem sempre significa ser mais saudável

Herança genética favorece colesterol alto em magro

Pessoas ativas e com peso ideal para a altura do corpo podem ter, por exemplo, tantos problemas de colesterol alto quanto alguém sedentário.

E qual a razão para o colesterol não estar controlado? A herança genética é um dos motivos do índice elevado de gordura no sangue. Segundo médicos, quando a doença é identificada em algum membro da família, é preciso investigar, porque os demais têm 50% de chances de sofrerem também da doença.

Nesse caso, o colesterol é decorrente de uma mutação no receptor de LDL (colesterol ruim), que não funciona direito e acaba prejudicando o transporte das moléculas de gordura até o fígado, onde elas são processadas. No Brasil, estima-se que um em cada 500 brasileiros sofram de colesterol alto familiar.

Dados do Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas de São Paulo mostram que pelo menos 360 mil brasileiros desconhecem que sofrem de uma doença genética responsável por elevar os níveis de colesterol no sangue. O que aumenta em até 30 vezes o risco de terem problemas cardíacos, mesmo na juventude.

Mas o fator genético não está sozinho nessa história. A hipertensão mal controlada e o histórico na família de problemas cardíacos também são razões dos magros, muitas vezes, não serem tão saudáveis assim.

Algumas doenças podem causar o aumento nas taxas de colesterol no sangue, como a insuficiência hepática, que prejudica o metabolismo das gorduras, e o hipotireoidismo (baixa nos hormônios da glândula tireóide). A diminuição destes hormônios também diminui a quantidade de receptores de LDL, o que faz o colesterol ruim aumentar. Também há uma redução na atividade da enzima lípase lipoproteica, que age no processamento dos triglicérides.

O uso do anticoncepcional, à base de estrógeno e progesterona, pode interferir nos níveis de HDL e LDL. Enquanto a progesterona aumenta o LDL e diminui o HDL, o estrógeno tem efeito positivo, aumentando o HDL e reduzindo o HDL. É uma alteração suave que, geralmente, só atrapalha as mulheres com tendência ao colesterol alto.

O descontrole do colesterol complica o funcionamento do nosso organismo, provocando doenças cardiovasculares, derrame, doença nas artérias coronárias e ataque cardíaco. O controle feito por meio de exames de sangue e triglicérides é a melhor maneira de controlar o colesterol alto, que deve vir acompanhado sempre de uma alimentação saudável, rica em fibras e pouca gordura e exercícios físicos regulares.

Natália Farah


Comente

Últimas