Obesidade infantil: influência dos pais na educação alimentar

Você é o espelho do seu filho: incentive a boa alimentação

Obesidade infantil influência dos pais na educação

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 10 milhões de crianças pequenas e bebês entraram em estado de obesidade infantil nos últimos 10 anos. Comum na década marcada por fast foods e ausência de atividades físicas na infância, outros fatores também podem contribuir para o ganho de peso da criança.

Por exemplo, um estudo realizado no Departamento de Economia, Gestão e Ciências Sociais da Universidade Católica Portuguesa, em Portugal, revela que a obesidade nas crianças é decorrente a educação alimentar e sedentarismo, influenciado pelos pais.

"Na minha infância, a gente levava lancheira para a escola com alimentos mais naturais. As brincadeiras na hora do recreio eram correr e jogar futebol, entre outras. Hoje, passados cerca de 40 anos, as crianças comem mais alimentos industrializados, bolachas, sucos de caixinha, salgadinhos da cantina. No intervalo das aulas, elas brincam com seus smartphones. A alimentação era mais correta e a atividade física era muito maior antigamente", afirma o especialista em cirurgia a obesidade do Hospital São Luiz Itaim, Luiz Vicente Berti.

Berti explica que a obesidade infantil traz riscos de saúde para a criança, já que o sobrepeso é responsável por diagnósticos de hipertensão, diabetes, problemas nos ossos, respiratórios e acúmulo de gordura no fígado - que são doenças de adultos! "Sem contar o risco de desenvolverem sérios problemas emocionais, ocasionados principalmente pela vergonha do próprio corpo e pelo bullying realizado pelos colegas", completa o especialista.

A boa educação alimentar é a principal saída para que as crianças obesas comecem a diminuir o peso e aumentar a qualidade de vida. Os experts em educação infantil garantem que trocar aquele hambúrguer diário por alimentos naturais, com grãos, verduras, legumes e frutas, vão melhorar o metabolismo, ingestão e diminuição e gordura dos pequenos.

Como os hábitos alimentares são passados de pais para filhos, devem ser atitudes controladas pelos próprios responsáveis. Você é o espelho do seu filho: incentive a boa alimentação e exercícios físicos - ótimos para melhorar condições musculares, eliminar a gordura e melhorar a respiração. "A boa educação alimentar precisa vir dos pais. Mudar os hábitos em casa é o maior ato de amor que os pais podem realizar", completa Dr. Luiz Vicente.

Por Caroline Sarmento


Comente

Assuntos relacionados: alimentação obesidade crianças

Últimas