Olhando para o próprio prato

Olhando para o próprio prato

Emagrecer. Essa é a sua proposta de vida? Se sim, chegou a hora de colocar a alimentação em ordem. Se não, isso não quer dizer, necessariamente, que está ingerindo os alimentos certos, nas horas certas.

Pessoas que apresentam excesso de peso são apontadas como as únicas que cometem erros alimentares. Não há um especialista em saúde que não as condenem, lançando a lista dos riscos para o organismo que o excesso de gordura pode causar. Diabetes, pressão arterial elevada, colesterol alterado, ataque cardíaco. É fulminante a listagem.

Infelizmente, os riscos são reais e devem ser eliminados, mas o corpo magro pode esconder deficiências que darão sinais a longo tempo. Ou seja, o organismo poderá chiar daqui a alguns meses ou, até mesmo, anos.

Vamos ver se a alimentação está adequada? Uma alimentação saudável deve seguir, basicamente, os tópicos abaixo:

  • fazer, pelo menos, 5 refeições por dia (café da manhã, lanche, almoço, lanche e jantar),
  • não pular nenhuma refeição,
  • não beliscar balas, doces, salgadinhos durante o dia,
  • evitar alimentos ricos em gorduras (sanduíches, frituras, molhos à base de maionese, molho branco, tortas, folhados), principalmente as gorduras saturadas, presentes em alimentos de origem animal (manteiga, carnes gordas, leite e derivados integrais),
  • nas refeições principais, ingerir uma variedade de alimentos que forneçam proteínas, carboidratos, vitaminas e minerais (frutas, verduras, legumes, leites, peixes, leguminosas, cereais),
  • beber, no mínimo, 1,5 litro de água por dia,
  • evitar bebidas gaseificadas e alcoólicas,
  • evitar a ingestão de doces,
  • não substituir uma refeição por sanduíche.
  • Esses são os principais itens de uma alimentação saudável. Difícil seguir à risca, não? Então é melhor ficar atento.

    As deficiências mais comuns são de ferro e cálcio. O ferro "heme" mais encontrado em carnes vermelhas é mais biodisponibilizado ou seja, é melhor absorvido pelo organismo que o ferro "não heme" presente em verduras de folha verde escura. A ingestão inadequada de leite e derivados pode levar à deficiência de cálcio presente em abundância nestes alimentos. Esta deficiência acarreta problemas ósseos como osteomalácia e osteoporose.

    Esses são apenas dois exemplos. Quer mais? A ingestão de carboidratos em quantidade inferior à recomendada faz com que o corpo não tenha energia disponível para trabalhar, lançando mão de outros mecanismos como, por exemplo, quebrar proteína - que é um nutriente construtor e não energético - para a produção energética.

    Ter uma alimentação desbalanceada não é sinônimo de excesso de peso. Saúde envolve diversos fatores, entre eles a alimentação, que fornece nutrientes e substâncias envolvidas no bom funcionamento do organismo. A alimentação saudável interage positivamente com outras características como, por exemplo, na prática de atividade física. Se não há uma boa alimentação, não terá um bom resultado físico.

    É importante olharmos para o nosso próprio prato, para as nossas próprias atitudes. Corrigir os nossos erros é mais difícil do que apontar os dos outros. Mas é muito mais compensador e saudável.    

    Comente

    Últimas