Pense em panetone, sinta o Natal...

Pense em panetone sinta o Natal

Durante o ano ele é esquecido, mas nas semanas que antecedem o Natal, o panetone volta a ser lembrado, desejado, comentado e se torna um dos alimentos mais consumidos. Ele é um pão doce de origem italiana, bastante conhecido no Brasil. Algumas lendas a respeito de sua invenção são contadas; a mais convincente delas envolve um caso de amor.

A mais famosa lenda sobre a criação do panetone

A história se inicia no século XV quando um jovem, morador da cidade de Milão, apaixona-se pela filha de um padeiro. Buscando uma maneira de surpreender o pai da moça, que não aceitava o namoro, ele se disfarça de ajudante de padeiro e cria um pão doce. O pão tornou-se destaque na padaria pelo seu tamanho incomum para a época e por apresentar, no seu ápice, a figura moldada de uma cúpula de igreja.

O jovem criador desta deliciosa receita, hoje apreciada por pessoas de diversos países, atribuiu a autoria da receita a Toni, o pai da moça. O movimento da padaria cresceu significativamente e os clientes pediam pelo "pão de toni". O nome deste pão doce sofreu algumas modificações, até ser denominado como atualmente: panetone.

Não se sabe se esta lenda é verídica ou não, no entanto, a autêntica receita do panetone aprimorou-se pelos séculos, através de novas técnicas de preparação e melhoria das matérias primas utilizadas. Milão, cidade localizada ao Norte da Itália, foi a grande irradiadora da tradição de consumir panetones nas festas natalinas, a qual estendeu-se para as cidades do sul da Itália e alastrou-se para os demais países do mundo.

Características culinárias e nutricionais do panetone

Durante a fabricação, o panetone passa por um processo de fermentação natural, o que garante a maciez e consistência esponjosa características deste pão. Algumas inovações de preparo e ingredientes levaram a variações dos panetones. Chocotone, sorvetone e a colomba são as mais conhecidas.

O panetone é um alimento rico em carboidrato, nutriente que fornece energia para o desempenho das atividades físicas e mentais do organismo. Mas, quem se preocupa em manter a forma deve ficar atento, pois a quantidade de gordura presente no panetone é considerável e ele deve, portanto, ser consumido com moderação.

Saiba o valor calórico do panetone, chocotone e colomba:

Pense em panetone sinta o Natal

*Valor calórico de pães típicos das Festas de Final de Ano por fatia (80 g)

Nas festas de Natal e Ano Novo não deixe de saborear o panetone; mas fique alerta, pois ele fornece grande quantidade de energia e, nesta época do ano, o consumo alimentos ricos em gorduras aumenta acentuadamente. Sempre considere a presença de oleaginosas (nozes, amêndoas, avelãs e amendoins) e frutas secas (uvas passas, figo, ameixas e damascos) camufladas nas diversas preparações de Natal. É comum nas ceias de final de ano, pratos que envolvam carnes, arroz, farofa e saladas acompanhadas de frutas secas e oleaginosas, que tornam as receitas bem mais calóricas.

As frutas cristalizadas, que são ingredientes típicos do panetone, contêm muito açúcar, devido ao processo de fabricação e a técnicas de conservação; portanto, elas são mais calóricas do que as frutas naturais. As gotas de chocolate contidas no chocotone fornecem maior valor energético, se comparadas com as frutas secas e cristalizadas do panetone. O sorvete, utilizado como recheio do sorvetone, nem se fala.

Dessa forma, é importante saber avaliar quais são os ingredientes presentes nas receitas típicas das festas de final de ano, para não exagerar na dose e acabar consumindo pratos muito calóricos; afinal, quem deseja iniciar o ano com uns quilinhos à mais?

Comente

Últimas