Reeducação alimentar inclui saúde intestinal e oxigenação celular

A flora intestinal equilibrada é a chave para um organismo livre de infecções
Reeducação alimentar inclui saúde intestinal e oxigenação celular

Foto - Reprodução

Manter o corpo em forma depende de hábitos saudáveis, incluindo uma rotina de exercícios físicos e alimentação balanceada. Mas o sucesso da reeducação alimentar vai muito além de uma seleção de grupos alimentares bem feita. Atualmente, os mais badalados nutricionistas do País relacionam dois outros fatores que são essenciais para a conquista do corpo saudável: a saúde intestinal e a oxigenação celular.


Comprovadamente, o intestino tem uma importância que vai além da regularidade com a qual vamos ao banheiro. Esse órgão possui mais bactérias do que a quantidade de células existentes no corpo humano. Segundo o o médico especialista em performance humana Theo Webert, manter a flora intestinal equilibrada é o segredo para que nosso organismo fique livre de infecções. “Se o o intestino não funciona, ele compromete o bem-estar de todo o organismo, fazendo com que o corpo acumule gordura e inche, além de causar mau humor”, salienta.

Conhecido por tratar de famosos como Grazi Massafera, Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank, Theo Webert esclarece que seu tratamento sempre começa com o restabelecimento do funcionamento equilibrado do intestino dos seus pacientes. Para isso, ele solicita uma ampla gama de exames de sangue e prescreve medicamentos próprios, como os vermífugos, com o intuito de melhorar a absorção intestinal.

Os maiores vilões que comprometem o bom funcionamento do intestino, deixando-o mais lento, normalmente são fatores que conhecemos bem: estresse, má alimentação e deficiência de vitaminas e minerais. O ideal é controlar o consumo de carboidratos simples, como pães, doces e frituras, buscando ingerir mais fibras, contidos nas verduras, alguns cereais, legumes e frutas.

Tratamentos à base de probióticos naturais ou em cápsulas também ajudam no processo de reequilíbrio da flora intestinal. Para a nutricionista funcional e esportiva Priscila Di Ciero, de São Paulo, é essencial ficar atento às mitocôndrias, que têm como papel o fornecimento de energia a todos os músculos do corpo. “O corpo se desgasta mais rapidamente quando a função mitocondrial fica comprometida, o que acontece quando abusamos da má alimentação, e sofremos com a ação do estresse, da poluição e do fumo”, declara a nutricionista funcional.

Cuidar da alimentos é sempre um bom negócio quando se trata de proteger as mitocôndrias. Para proteger as mitocôndrias. Alimentos como salmão, castanhas, brócolis, maçã, quinoa e alguns cereais, ricos em carnitina e complexo Becoenzima Q10 fazem bem essa função. Mas atenção: quem pensa que o excesso de atividade física pode potencializar a função mitocondrial está muito enganado. 

A atividade física pode dificultar o trabalho das mitocôndrias, pois o alto consumo de oxigênio durante a prática de atividades propicia a oxidação celular. Então, o repouso é o mais indicado, já que promove a recuperação dos músculos.

Por Renata Branco

Comente

Últimas