Selo amigo do peito

Selo amigo do peito

A alimentação saudável começa pelas gôndolas do supermercado. Diante de tantas opções, o consumidor fica na dúvida se o que estão levando para a mesa irá beneficiar ou ser seguro para a saúde, não trazendo efeitos nocivos ao organismo.

A principal fonte de informação nessa hora é o rótulo. Nele é obrigatório, a partir de resolução feita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), estar impresso os valores nutricionais do produto.

Selo de Qualidade

Anualmente no Brasil, 300 mil mortes são registradas somente em decorrência de infarto. O desenvolvimento de doenças coronarianas está diretamente relacionado ao tipo de alimento e nutriente ingeridos.

A alimentação rica em produtos de origem animal é fonte de gorduras saturadas e colesterol, sendo a ingestão excessiva deste último nutriente, responsável pela hipercolesterolemia. Trocando em miúdos: colesterol elevado no sangue. O alto consumo de gorduras saturadas e alterações nas taxas de colesterol são fatores responsáveis pelo desenvolvimento de placas de gordura nos vasos que irrigam o coração, impedindo a passagem do sangue neste órgão. Conseqüência: aterosclerose.

Pensando na segurança alimentar, a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) desenvolveu o selo de Aprovação de Qualidade SBC/FUNCOR em 1991. Esse selo é a garantia de que o produto foi analisado dentro das normas do SBC, não produzindo efeito nocivo para o coração.

Selo amigo do peito

O desenvolvimento deste selo não é uma novidade brasileira. Anteriormente, a American Heart Association nos Estados Unidos já havia elaborado um selo certificando o benefício de alimentos americanos.

Para que os alimentos recebam o selo de qualidade, os critérios utilizados são baseados em várias instituições, nacionais e internacionais. Entre elas estão a própria American Heart Association e Sociedade Brasileira de Cardiologia, como também a Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Nutrientes analisados

A partir de análises laboratoriais, são levantadas as quantidades de carboidratos, proteínas, gordura total (saturada, poliinsaturada, monoinsaturada e colesterol), fibras e sódio.

Para se certificar se o alimento na gôndola passou neste teste, logo abaixo do selo deve estar impresso qual nutriente está presente em baixa ou em elevada quantidade ou, até mesmo, ausente. Entre as categorias estão alimentos com baixo teor de gordura saturada, não contém colesterol, alto teor de fibra e menor teor de sódio. Há ainda a classificação de prato saudável que, entre outras características, deve conter quantidade inferior ou igual a 100 mg de colesterol.

Produtos que passaram no teste

Vários alimentos já possuem o selo de qualidade SBC/FUNCOR. Arroz, óleos de origem vegetal, temperos, cremes vegetais, macarrão, molho, leite, iogurtes e sucos são alguns exemplos. Até as preparações servidas na companhia aérea TAM já possuem esse certificado. Panelas anti-aderentes também já estampam a imagem do coração saudável.

Mesmo utilizando os alimentos citados, ele pode não conter o selo, já que é preciso que a empresa encaminhe os produtos para análise. Por isso, ler o rótulo é fundamental para se certificar se o alimento é amigo do peito.

Comente

Últimas