4 mitos sobre a osteoporose

Esclareça suas dúvidas e comece já a se prevenir!

4 mitos sobre a osteoporose

Você sabia que de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a osteoporose está atrás apenas das doenças cardiovasculares como principal problema de saúde mundial? A famosa doença causa problemas sérios à saúde, já que diminui o cálcio nos ossos, levando à degradação e redução da estrutura óssea, propiciando fraturas. Por isso, é fundamental preveni-la.

"A osteoporose é a doença óssea mais comum em homens e mulheres, após a quinta década de vida, pode surgir antes, mas o seu desenvolvimento é mais comum com o avançar da idade. Apostar na orientação e na disponibilização de informações sobre a doença é muito importante", conta o Dr. Sérgio Lanzotti, reumatologista consultor da Netfarma e diretor do Iredo (Instituto de Reumatologia e Doenças Osteoarticulares).

Além disso, vale mencionar que, segundo uma pesquisa sueca publicada recentemente, as mulheres que entram na menopausa precocemente são quase duas vezes mais propensas a sofrer desse mal. No entanto, como já informado pelo Dr. Lanzotti, não se trata de uma enfermidade exclusiva do sexo feminino.

Os sintomas são silenciosos. Por isso, é muito importante fazer exames periódicos para não descobrir tarde demais. "A doença pode fraturar um osso simplesmente tossindo, espirrando ou mudando de posição bruscamente. Muitos pacientes só tomam consciência da gravidade, após levar um susto", ressalta o médico.

E ao contrário do senso-comum, a doença não atinge somente idosos. "Na verdade, ela é o produto final de um processo longo e gradual que afeta todos os adultos a partir do final da adolescência. É preciso saber que os indivíduos atingem o pico de massa óssea entre 20 e 25 anos. Depois, em algum momento entre 30 e 40 anos, dependendo da dieta, dos exercícios e de outros fatores que mantêm os ossos fortes, há o início da perda de massa óssea."

Na verdade, a osteoporose é um mal cheio de mitos. A seguir o Dr. Lanzotti fala sobre alguns deles.

Apenas mulheres desenvolvem a osteoporose

Embora a incidência seja maior no sexo feminino, os homens não estão imunes à doença. De acordo com as estatísticas, após os 50 anos, uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens sofrerão uma fratura associada à osteoporose. "Ela é mais comum nas mulheres por conta dos ossos serem mais leves e finos e também porque, no período da menopausa, o organismo feminino sofre uma deficiência de estrogênio, hormônio que influencia na saúde das células ósseas."

Leite e derivados são as únicas fontes de cálcio

O consumo de laticínios integrais ou desnatados é recomendado na prevenção, por serem importantes fontes de cálcio (elemento essencial para a saúde óssea). No entanto, espinafre, couve, sardinha, aveia, nozes e gergelim também possuem. Além disso, pode-se apostar em suplementos para combater o déficit de cálcio no organismo em casos específicos e com receita médica.

Quem tem osteoporose não deve praticar atividades físicas

A prática de atividades físicas é essencial em todas as fases da vida. Exercícios aeróbicos e de força previnem e combatem a osteoporose, desde que sejam feitos sem exageros e sob orientação. Além disso, portadores da doença devem se dedicar a exercícios de baixo impacto e treinos personalizados para prevenir fraturas.

A prevenção da osteoporose começa após os 50 anos

Ela deve acontecer ao longo da vida, pois a estrutura óssea começa a ser fortalecida na infância e seu pico ocorre por volta dos 20 anos de idade. Alimentação saudável, prática regular de atividades físicas e exposição solar adequada são recomendadas para fortalecer as células ósseas. O consumo excessivo de bebidas alcoólicas e tabaco é prejudicial, devendo ser evitado sempre.

Por Marisa Waslsick (MBPress)

Comente

Top Posts

Últimas