5 hábitos que podem agravar o glaucoma

Veja quais são mais comuns

5 hábitos que podem agravar o glaucoma

O diagnóstico tardio pode agravar ainda mais o glaucoma, doença causada pela lesão do nervo óptico e relacionada à pressão ocular alta. Por raramente apresentar sintomas, a pessoa só percebe que há algo de errado quando começa a sentir fortes dores de cabeça, que vêm acompanhadas de fotofobia (sensibilidade à luz), enjoo e intensa dor ocular.

De acordo com as estatísticas, de 1% a 2% da população acima de 40 anos é portadora de algum tipo de glaucoma, que é genética. Por isso os filhos dos portadores de glaucoma precisam verificar com mais frequência a pressão intraocular. Caso não tratada e acompanhada clinicamente, a doença pode levar a cegueira.

Alguns maus hábitos tendem a agravar ainda mais pressão dos olhos. Veja quais são 5 mais comuns:

Estresse

O estresse é uma das principais causas da lesão ocular de ângulo fechado, que ocorre quando a saída do humor aquoso (líquido incolor que preenche as câmaras oculares e regula a pressão interna do olho) é subitamente bloqueada originando aumento rápido, doloroso e grave na pressão intraocular. A questão é tratada como emergência e a pessoa tem vermelhidão e dor intensa nos olhos, náuseas e vômitos. Segundo especialistas, quando a pessoa tem níveis elevados de estresse, a pupila dilata, o que desencadeia um mecanismo denominado bloqueio pupilar, levando ao aumento da pressão intraocular. Quem tem glaucoma deve controlar o nível de estresse, uma vez que as crises podem levar a danificação do nervo óptico, causando a perda de visão.

Hipertensão e diabetes

Um estudo realizado pela Universidade de Michigan e publicado na revista americana Ophthalmology, faz um alerta quanto à relação de hipertensão e diabetes a um maior risco de glaucoma. De acordo com os pesquisadores, o diagnóstico de diabetes tipo 2 aumenta o risco de glaucoma em 35%. E quando há hipertensão arterial a chance é maior em 17%. Quando ambas condições estão presentes, a probabilidade de desenvolver glaucoma é de 48%. Vale lembrar que a relação das doenças com o glaucoma ainda está sendo estudada.

Uso incorreto de colírios

O uso incorreto deste medicamento atrapalha o tratamento, além de reduzir a eficácia. Os colírios devem ser utilizados da maneira prescrita pelo médico, respeitando os horários, os intervalos entre um colírio e outro e aplicando da forma correta. A especialista explica que a maneira correta de aplicar o colírio é pingando uma só gota com o olho aberto, segurando a pálpebra superior para cima. Depois, permanecer com o olho fechado por volta de um minuto.

Sedentarismo

A prática de atividades aeróbicas, como caminhada, natação e corrida, ajuda muito na diminuição da pressão intraocular. O exercício melhora a aptidão cardiovascular, favorecendo a irrigação sanguínea do nervo óptico, diminui a produção do humor aquoso e ajuda na drenagem do líquido. Logo depois de praticar o exercício, é normal que a pressão intraocular diminua significantemente. Na sequência, a pressão também sobe, em média 72h depois. Por isso é importante praticar atividades físicas regularmente, no mínimo, três vezes por semana.

Ingerir muito líquido em pouco tempo

Beber uma quantidade grande de líquido de uma só vez e sem pausa para respirar pode ser uma prática perigosa para quem tem glaucoma. Isso causa grande produção de humor aquoso rapidamente, porém esse líquido será drenado lentamente. Isso pode causar o aumento da pressão intraocular. Mas os especialistas alertam: é muito importante hidratar o corpo e consumir pelo menos dois litros de água por dia.

Natália Farah


Comente

Últimas