7 sinais que indicam a necessidade de visitar seu dentista

Não deixe de ir ao dentista regularmente mesmo quando não sentir dor

7 sinais que indicam a necessidade de visitar seu

Há quanto tempo você não visita o seu dentista? Se não tem ideia, definitivamente, é hora de marcar uma consulta. Afinal, não é preciso estar com dor de dente para ir ao dentista. Na verdade, existem fatores, além desse incômodo mais evidente, que indicam a necessidade de ir com urgência ao consultório.

"Ainda existe muita gente que tem receio de sentar na cadeira do dentista, principalmente, por medo de sentir dor. O ‘motorzinho’ assusta. Mas, hoje, os consultórios são ambientes agradáveis e cercados de tecnologias que aliviam a tensão do paciente e possibilitam que o trabalho seja o mais perfeito possível. Essa associação de dor e tratamento dentário ficou no passado", conta o Dr. Ruy Hizatugu, especialista em endodontia e professor da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas, em São Paulo.

Segundo ele, para evitar problemas comuns, como cárie simples ou canal, crianças e adultos devem visitar o dentista, pelo menos, duas vezes ao ano. No entanto, se tiverem problemas que necessitam de acompanhamento, o profissional de sua confiança irá determinar a regularidade. Mas, vale ficar atenta aos sete sinais abaixo indicados pelo Dr. Hizatugu, para, se necessário, antecipar sua ida ao consultório.

1. Dor de dente

"Um levantamento do Departamento de Saúde Pública dos Estados Unidos revelou que os estudantes perdem mais de 51 milhões de horas-aula ao ano por causa de problemas dentais. De fato, a dor de dente costuma ser tão pouco suportada por jovens e crianças que, quando não faltam à escola, não conseguem prestar atenção na matéria. A cárie é a causa mais comum de dor de dente, piorando conforme o nervo do dente fica mais exposto."

2. Sangramento

"Se persistir por mais de dois ou três dias, o sangramento deve ser investigado. Geralmente, ocorre quando a pessoa coloca muita força na escovação. Mas, as principais causas incluem gengivite, traumas, distúrbios hemorrágicos, próteses móveis mal ajustadas e doenças como a leucemia e o escorbuto."

3. Feridas

"Elas podem ter várias causas. Desde as mais simples, como quando há o aparecimento de aftas e do herpes labial até as que sugerem algo mais complexo. Infecções por bactérias, vírus ou fungos devem ser investigadas, assim como as leucoplasias (manchas ou placas esbranquiçadas mais frequentes em fumantes de cigarro, charuto e cachimbo e em pessoas que abusam do álcool). A propósito, a associação de ambos potencializa o surgimento desse tipo de lesão."

4. Sensibilidade nos dentes

"Bebidas quentes ou geladas podem provocar dor em pessoas com dentes hipersensíveis. Isso pode resultar de cáries, dentes fraturados, doenças na gengiva, esmalte desgastado ou uma raiz exposta. O tratamento levará em conta a causa do problema e o grau de sensibilidade."

5. Dor durante a mastigação

"Quando o paciente sente dores persistentes durante a mastigação, deve procurar um dentista sem demora para chegar ao diagnóstico correto do problema. Esse tipo de sintoma pode estar associado a doenças como sinusite, artrite, gengivite, bruxismo ou ainda a uma disfunção da articulação temporomandibular."

6. Fratura

"Com o aumento da expectativa de vida e a incorporação de novos hábitos alimentares, os dentes estão sendo cada vez mais exigidos. Como os dentes trincados ou fraturados apresentam sintomas diversos, é importante procurar um especialista na presença de dor localizada, ao mastigar e ao entrar em contato com bebidas muito quentes ou frias. Esse tipo de diagnóstico depende em grande parte da regularidade das visitas ao dentista, pois o desconforto vem e vai e nem sempre o problema é visualizado no raio-X."

7. Abcesso

"Esse tipo de problema também é bastante comum e geralmente se manifesta quando há um acúmulo de pus em torno da raiz do dente (resultado de uma infecção bacteriana). O tratamento consiste em drenar a secreção e limpar e desinfetar a cavidade pulpar. Em casos muito graves, a extração do dente pode ser necessária."

Por Marisa Walsick (MBPress)

Comente

Últimas