A História da anticoncepção

A História da anticoncepção

Divulgação

Resgatar a história dos métodos anticoncepcionais é reviver também um pouco a história da mulher e da liberdade sexual conquistada ao longo do tempo. E foi com essa certeza que quatro ginecologistas resolveram escrever "História da Anticoncepção", lançado agora pela editora Casa & Leitura Médica.

Para Angela Maggio da Fonseca, uma das autoras do livro, a importância social dos métodos é extrema pois proporciona que uma família seja bem estruturada, possa se planejar e não ter uma gravidez desejada. "Na educação, esse livro colabora pois informa e esclarece sobre a evolução dos métodos e da sociedade como um todo".

Didaticamente, a obra foi dividida em três partes. Na primeira, há considerações históricas sobre a anticoncepção desde a civilização egípcia até o século XX. A segunda parte refere-se à história e ao relato dos diferentes métodos anticonceptivos. Na terceira, os autores discorrem sobre a história da interrupção da gravidez, infanticídio e esterilizações feminina e masculina.

O que os autores descobriram, durante a pesquisa, foi que entre os métodos mais usados pelas mulheres, sem dúvida estão os contraceptivos hormonais e o dispositivo intra uterino (DIU). "Mas o mais indicado é aquele que melhor se adequar ao casal. Cada um tem sua particularidade e necessidades diferentes", opina Angela.


O livro se dirige tanto a leigos que queiram conhecer e se aprofundar na história da anticoncepção quanto aos especialistas. Já está disponível em todo o Brasil e custa em média R$ 40.

Comente

Últimas