Alimentos aliados do coração

alimentos aliados do coração

Manter o motor funcionando por mais de 40 anos, sem que nenhuma pane ocorra, é uma missão impossível para muitas máquinas, mas não para o corpo humano. Conservar o sistema cardíaco em perfeito estado, por este período, é relativamente fácil.

Porém, passado este período, as coisas começam a não ser tão simples.

Uma boa alimentação na juventude pode prevenir muitos problemas cardíacos. É importante variar o cardápio, que deve ser composto de alimentos de baixas calorias. "Não existe alimento ‘mágico’, o importante é a variedade", afirma o cardiologista Dr. Fábio Leite Vieira. Servir-se de mantimentos que formam um prato colorido é a dica para ter certeza de que está se nutrindo de maneira correta. A cor está relacionada aos nutrientes que compõem a comida.

Alimentos com pouco cloreto de sódio (sal de cozinha) são os mais indicados para o coração. Além destes, peixes são ricos em ômega 3 e 6 que fazem muito bem ao nosso sistema cardíaco. Uvas e seus derivados também são indicados.

Carnes são fundamentais para uma dieta saudável. Dr. Fábio Vieira recomenda: "Devemos ingerir pelo menos duas ou três porções de carne branca - aves e peixes. E de quatro a cinco porções de carne vermelha", diz. "Lembrando novamente que a variedade é a palavra de ordem", completa.

O consumo de azeite de oliva é liberado, desde que em pratos frios. "Todo óleo, após ser muito esquentado, sofre transformações que modificam o padrão de gordura para uma mais nociva. Por isso, devemos evitar reutilizar óleo de fritura que ficou muito tempo exposto às altas temperaturas", recomenda o Dr. Vieira.

Nem toda gordura é vilã para o coração. As encontradas em carnes brancas de peixe são benéficas, mas passe longe das saturadas. Óleos de soja e de milho devem ser substituídos pelos óleos de canola e azeite. Nozes, castanhas e avelã são ricas em gorduras monoinsaturadas, o chamado colesterol bom, além de conter oxidantes. Estas castanhas devem ser consumidas com moderação, no máximo 50 gramas por dia. Mais do que isto pode fazer o ponteiro da balança disparar!

Uma boa alimentação pede uma nutrição balanceada. "Colocando os nutrientes na ponta do lápis, teremos por volta de 50% a 60% de carboidratos, 20% a 25% de proteínas, 20% a 30% de gordura e 300 g a 400 g de frutas, verduras e legumes, ingeridos diariamente", orienta o cardiologista.

O melhor é encontrar o equilíbrio entre os nutrientes, sem cometer excessos. Para que a alimentação não se torne uma inimiga, procure ajuda de um nutricionista. Assim conseguirá manter o peso, conservar o sistema cardíaco e todo o organismo.

Comente

Últimas