Aplicativo gratuito para familiares e pacientes com Mal de Parkinson

O ‘Central de Parkinson’ é uma verdadeira enciclopédia de assuntos relacionados ao tratamento da doença

App para Mal de Parkinson

A tecnologia tem sido grande aliada ao tratamento de doenças. Aproveitando a onda dos smartphones, celulares com diversas funções e acesso à internet, a Fundação Nacional de Parkinson (NPF) lançou com exclusividade o Central de Parkinson, um aplicativo gratuito criado especificamente para as pessoas e familiares que vivem com a doença de Parkinson.

O aplicativo (app) é gratuito e está disponível no iTunes App Store, em celulares iPhone, e no Android Market, para smartphones com sistema Android. Este é o segundo aplicativo gratuito da NPF, que já desenvolveu o Toolkit do Parkinson, projetado para profissionais de saúde e disponibilizado em 2011.

"O Central de Parkinson é uma verdadeira enciclopédia de assuntos relacionados ao tratamento da doença e serve de guia para uma vida positiva e de alta qualidade com mal de Parkinson", disse James Morgan, diagnosticado há cinco anos com a patologia.

Funcionalidades do app

Com o app será possível, por exemplo, identificar os prós e contras do diagnóstico e gestão de medicamentos, obter conselhos de como viver bem com a doença além de informações sobre seguros e assuntos financeiros, e ainda aproveitar conteúdos adaptados para os cuidadores. Há ainda uma ferramenta chamada "Near Me", que serve para encontrar os recursos locais de acordo com o código postal.

Como os sintomas da doença variam de pessoa para pessoa, é fundamental saber sobre a doença e conhecer maneiras mais adequadas para manter a qualidade de vida do paciente.

Doença tem causa desconhecida

O Parkinson é uma doença neurológica, crônica e progressiva, sem causa conhecida, que atinge o sistema nervoso central e compromete os movimentos. O tremor nas mãos e a dificuldade na fala estão entre os principais sintomas das pessoas com Mal de Parkinson, doença que afeta 1% da população com mais de 65 anos e 0,4% daqueles com mais de 40 anos.

A doença ainda não tem cura e não tem como impedir a evolução. Uma combinação bem feita entre tratamento medicamentoso e uma terapia alternativa reduzem a progressão, sendo possível o paciente levar uma vida funcionalmente ativa.

Informações detalhadas sobre o app está disponível em www.parkinson.org/parkinsonscentral.

Por: Natália Farah


Comente

Últimas