Asma de difícil controle

A grande dificuldade em alguns pacientes consiste na falta de informação no tratamento da doença

Asma de difícil controle

A falta de ar quase sempre consiste em um dos principais problemas em quem sofre com a asma, embora a doença se manifeste de diferentes formas em cada pessoa. As crises variam entre leves, esporádicas, graves e até ameaçadoras ao bem-estar do paciente. A boa notícia é que com alguns cuidados a asma pode ser controlada e o asmático levar uma vida saudável.

Os remédios, desde que prescritos por médicos qualificados, são eficazes no tratamento da doença, que afeta 16 milhões de pessoas no Brasil. Alguns medicamentos aliviadores devem ser usados apenas nas crises. Mas o que muita gente se esquece é de usar os indicados na manutenção, ou seja, aqueles que atuam na inflamação dos brônquios e controlam a asma prevenindo as crises.

Em casos mais graves de pacientes que não responderam ao tratamento tradicional, os especialistas podem indicar o uso de uma medicação específica para esses casos e de aplicação exclusiva em ambiente hospitalar.

Embora haja a comprovação de pesquisas que mostrem a eficácia de medicamentos específicos no controle das crises de asma, redução do uso de cortisona oral, diminuição do número de internações e melhoria na qualidade de vida da maioria dos pacientes, há casos graves de asma de difícil controle.

A grande dificuldade, de acordo com especialistas, trata-se da falta de informação a respeito da enfermidade. O que significa que se o paciente ou a família desconhecem a doença, não entendem os cuidados que devem ter, especialmente quando as crises não aparecem, as chances da eficácia no tratamento diminuem drasticamente.

Por isso o preconceito com o uso diário de ‘bombinhas’ com o corticoide inalatório devem ser deixados de lado em busca do controle da doença.

Prevenção, sempre o melhor remédio! - Vale destacar que a asma é uma doença respiratória crônica que inflama os brônquios, os tubos que levam o ar respirado até os pulmões, e precisa de acompanhamento médico regular. Alguns cuidados no dia a dia minimizam as crises de asma e potencializam a qualidade de vida do paciente.

1. Dentro de casa, evite o acúmulo de ácaros e fungos mantendo-a sempre limpa e arejada;

2. Trate da alergia nasal, com rinite, sinusite;

3. O asmático que tenha outras doenças como refluxo gastroesofágico, fatores psicológicos e/ou psiquiátricos, que agravam a asma, devem tratá-los;

4. A fumaça do cigarro e o hábito de fumar são venenos aos asmáticos. Eles devem ficar longe;

5. Desde que com acompanhamento e prescrição médica, a reabilitação respiratória ajuda bastante a evitar crises. Ela deve ser feita pela fisioterapia respiratória e pela prática de atividades físicas compatíveis com cada caso;

6. Garanta doses de vitamina D ao organismo, que pode ser encontrada em ovos, manteiga, iogurtes e peixes, como atum e sardinha;

7. Eduque pacientes e familiares sobre a asma.


Por Natália Farah

Comente

Últimas