Asma e a primavera

Cuidados devem ser redobrados na primavera, quando as plantas fazem a liberação do pólen

Asma e a primavera

A primavera traz dias mais quentes, além das flores, as estrelas da estação. No entanto, há um grupo de pessoas que torce o nariz com a notícia: os hiperalérgicos.

É justamente nessa época do ano que a liberação do pólen das plantas, a polinização, agrava ainda mais os problemas respiratórios, entre outros, como alergia a ácaros.

Os sintomas mais frequentes dos alérgicos aos grãos de polens, identificados pela medicina como polinoses, incluem crises de espirros, nariz escorrendo, ardência nos olhos ou lacrimejo, tosse irritativa e dificuldade de respirar.

A confirmação da alergia é feita diante do diagnóstico de um especialista, que vai identificar o problema a partir do histórico do paciente e exames clínicos. O tratamento prescrito deverá ser encarado de forma integrada com medicamentos específicos e alguns cuidados no dia a dia.

Vale até se ausentar do local onde mora e programar férias para lugares e zonas de menor risco.

1. Na primavera, deixe as janelas de casa e do carro fechadas;

2. Evite a prática de atividades ao ar livre ou ficar muito tempo exposto em dias de muito vento;

3. Tomar um banho de chuveiro ajuda a remover partículas de pólen depositadas na pele e cabelos;

4. Use o ar-condicionado em dias mais quentes;

5. Se existem queixas oculares associadas, a proteção com óculos escuros pode reduzir a ocorrência;

6. Em casa, tenha móveis fáceis de limpar com um pano úmido evitando que ande muito pó no ar;

7. Evite ter animais que soltem pelos, como cães e gatos;

8. Não coma nem beba alimentos que causam sintomas respiratórios.

Tratamento preventivo - O principal tratamento da asma é o preventivo, que pode ser feito com o uso de medicamentos que evitam o aparecimento dos sintomas. Eles devem ser usados inclusive quando não há sintomas, afirmam especialistas.

Os corticóides inalados são os mais eficazes na prevenção das crises de asma. É importante lembrar que os remédios são eficazes quando há prescrição e acompanhamento médico.

Natália Farah


Comente

Últimas