Barriguinha de chopp aumenta riscos do diabetes

A gordura localizada promove resistência à ação da insulina e consequentemente a elevação dos níveis glicêmicos

Barriguinha de chopp aumenta riscos do diabetes

A gordurinha que se acumula na região abdominal, a famosa barriguinha de chopp, é prejudicial à saúde porque aumenta os riscos de doenças, como o diabetes.

Para se ter uma ideia do problema da relação entre a gordura abdominal e o diabetes, o excesso de gordura eleva os níveis de triglicerídeos, diminuiu os níveis do bom colesterol (HDL), promove resistência à ação da insulina e consequentemente a elevação dos níveis glicêmicos (Diabetes).

Há ainda o aumento da gordura hepática, que prejudica a formação de hormônios, vitaminas e substâncias que atuam no metabolismo das gorduras, e também da hipertensão arterial, que faz subir a viscosidade do sangue.

Um paciente pode nem ser obeso, mas ter a aquela barriguinha já aumenta o risco de ser diabético. Por isso, é preciso tomar cuidado com os hábitos de vida e com o controle do peso, como recomendam os médicos.

Para saber se a gordura abdominal está comprometendo sua saúde, basta medir a circunferência abdominal com uma fita métrica. Para as mulheres, o ideal é que não ultrapasse os 88 cm e os homens 102 cm. Caso exceda, existe um risco para desenvolver os males relacionados a esse tipo de gordura.

Nesse caso a melhor coisa a fazer é mudar os hábitos de vida. Embora em muitas situações o tratamento medicamentoso seja o mais indicado, especialistas alertam para uma boa alimentação e exercícios físicos regulares, o que previne a obesidade e o risco de diversas doenças.

Veja alguns exercícios que ajudam na prevenção e controle do diabetes.

Exercícios aeróbicos (corrida, natação e ciclismo): a recomendação médica é de realizar o total de 150 minutos/semana, com intensidade moderada, limitados pela frequência cardíaca obtida no teste ergométrico, feito com presença de cardiologista;

Fortalecimento muscular: duas/três sessões semanais, de 30 minutos cada, principalmente nos grupos musculares das pernas e braços. Atenção com os diabéticos com problemas oculares da retina: esses exercícios devem ser evitados;

Flexibilidade e equilíbrio: cinco vezes por semana, e o limite deve ser a ligeira sensação de desconforto.

Por Natália Farah


Comente

Assuntos relacionados: saúde diabetes doenças

Últimas