Ciência estuda relação do diabetes e câncer

Especialistas querem saber se a associação é biológica ou indireta

Ciência estuda relação do diabetes e câncer

A ciência tem estudado a relação do diabetes tipo 2 com o câncer. A causa ou mecanismo biológico dessa associação ainda não está esclarecida, mas existem dúvidas se a associação é direta, devido à elevação da glicemia.

Os médicos e especialistas no assunto querem saber se o diabetes é um fator biológico que altera o risco de desenvolvimento de câncer, ou se a associação de câncer e diabetes é indireta, devido a fatores de risco comuns às duas doenças, como a idade, sexo, sobrepeso, obesidade, sedentarismo, dieta inadequada, álcool e tabagismo.

"Alguns pesquisadores observaram, recentemente, que pacientes com diagnóstico de câncer de mama e diabetes, que usavam certo medicamento para diabetes, apresentavam maior chance de desaparecimento tumoral da mama (resposta patológica completa) do que as mulheres com diabetes que não usavam este medicamento ou até mesmo em relação às mulheres não diabéticas", explica o oncologista e diretor da Oncomed BH, Dr. Amândio Soares.

O médico explica que os tipos de cânceres associados a diabetes tipo 2 (o mais comum) são fígado, pâncreas, intestino e endométrio, em pelo menos duas vezes e, em menor grau, câncer de cólon e reto, mama e bexiga.

Os diabetes e o câncer são doenças de elevada incidência e apresentam grande impacto na saúde da população mundial. O Brasil ocupa a 4ª posição entre os países com maior prevalência de diabetes: 13,4 milhões de pessoas portadoras de diabetes. Isto corresponde a aproximadamente 6,5% da população entre 20 e 79 anos de idade.

Como método preventivo, tanto para o câncer quanto para a diabetes, recomenda-se visitas regulares ao médico, a prática regular de atividades físicas e uma dieta balanceada, que se evite o ganho de peso, excesso de bebidas alcoólicas e o tabagismo.

Por Natália Farah


Comente

Últimas